Imagens da igreja barroca de lafaiete podem ser de autoria de Aleijadinho

126
Imagens pertenmcem a Igreja de Passagem de Gagé, mas por falta de segurança estão em Museu de Mariana
Imagens pertencem a Igreja de Passagem de Gagé, mas por falta de segurança estão em Museu de Mariana

Lafaiete está perto de desvendar, recuperar e resgatar parte de sua história ainda desconhecida entre os séculos XVIII e XIX. A memória está ligada ao barroco, estilo e movimento artístico que consagrou inúmeros escultores, entre os quais dois expoentes brasileiros, Aleijadinho e Mestre Piranga.

O primeiro é conhecido pela sua obra máxima do conjunto arquitetônico do Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas. Já o Mestre Piranga foi responsável, em 1781, pela confecção do retábulo do altar-mor do Santuário de Bom Jesus de Matosinhos, em Santo Antônio de Pirapetinga, vulgo Bacalhau, distrito de Piranga.

Aleijadinho /Estado de Minas/Reprodução
Aleijadinho /Estado de Minas/Reprodução

Eis que quase 250 anos depois um estudo pode ligar os dois artistas à história de Conselheiro Lafaiete.  O Ministério Público Estadual ao município um “parecer de atribuição” que visa a identificar qual artista confeccionou as 8 peças sacras barrocas originárias da Igreja de Passagem de Gagé que estão guardadas no Museu de Artes Sacras de Arquidiocese de Mariana.

Há 15 anos o Ministério Público assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a Gerdau Açominas que entre as obrigações estavam a reforma da Igreja de Passagem de Gagé, como também a restauração das imagens barrocas. Por total falta de segurança na Igreja de Gagé, elas estão em Mariana.

Um estudo dos elementos artísticos das 8 imagens, elaborado pela FAOP (Fundação de Artes de Ouro Preto), levantou dúvidas sobre a autoria identificado características similares às obras de Aleijadinho e Mestre Piranga.

Imagem de Maria Menina
Imagem de Maria Menina
Imagem:Sant´Ana Mestra e Maria Menina

Segundo a Mauricéia Ferreira Maia, Secretária Municipal de Cultura, com a conclusão do estudo das imagens, surgiram questionamentos da autoria das obras sacras.  “A posição do nariz, os entalhes, as cores, as posição das mãos, distância entre os olhos, todos estes elementos podem caracterizar uma obra. Com o estudo realizado trouxe a tona estas dúvidas. Portanto somente técnicos e historiadores altamente conhecedores dos artistas podem identificar a autoria das imagens”, observou Mauricéia.

O estudo solicitado pelo Ministério Público está em fase de orçamento pela secretaria municipal de cultura.