Governo estuda criar auxílio-creche de R$ 200 e bônus escolar de R$ 1.000; Quem poderá receber?

415

Diante da dificuldade em criar um substituto para o Bolsa Família, a ideia é conceder um auxílio-creche, além de incentivos financeiros para os bons estudantes.

Os assessores da Presidência da República estudam uma proposta para complementar o Bolsa Família no próximo ano. Com a dificuldade em criar um substituto para o programa, a ideia do Governo Federal é conceder um auxílio-creche e bonificações para os bons estudantes.

De acordo com o que já foi divulgado, o valor do auxílio-creche seria de R$ 52 por filho, e iria atender cerca 8 milhões de crianças. O governo vai destinar cerca de R$ 5,1 bilhões para esse projeto. Além disso, outros incentivos seriam concedidos às famílias de baixa renda:

  • Prêmio anual de R$ 200 para os melhores estudantes;
  • Bolsa mensal de R$ 100, mais um prêmio anual de R$ 1.000, para alunos destaques em ciência e tecnologia;
  • Bolsa mensal de R$ 100, mais um prêmio anual de R$ 1.000 para estudantes que se destacarem em atividades esportivas.

Contas realizadas por técnicos do Palácio do Planalto e da equipe econômica apontam que o orçamento para bancar o Bolsa Família deve atingir R$ 34,4 bilhões. O programa irá contemplar, 14,5 milhões de famílias, beneficiando 44,2 milhões de pessoas. O valor médio do auxílio seria de R$ 202.

Incentivo para bons alunos

Com a criação de um prêmio anual de R$ 200 para os melhores alunos, a ideia é bonificar cerca de 1,8 milhão de estudantes. O programa Mérito Escolar deve premiar cerca de 800 mil crianças e adolescentes no Nordeste, 500 mil no Sudeste, 300 mil no Norte, 100 mil no Centro-Oeste e 100 mil no Sul.

Além disso, os estudantes que se destacarem ainda vão receber uma bolsa mensal no valor de R$ 100, mais um prêmio anual no valor de R$ 1 mil. Ambos os benefícios serão pagos para cerca de 20 mil alunos, sendo 10 mil para quem teve destaque em atividades ligadas a Ciência e Tecnologia, e outros 10 mil para estudantes que se destacarem em atividades esportivas.

Os prêmios poderão ser acumulados pelo beneficiário. No entanto, os critérios reguladores ainda serão definidos. As propostas devem compor uma medida provisória, editada pelo presidente, para ser enviada ao Congresso Nacional.