Andarilhos Queluzianos- 15 anos: a história de um grupo que se tornou símbolo da fraternidade, companheirismo, filantropia e lazer

33

Histórico dos Andarilhos Queluzianos

Foto histórica: primeira caminhada dos Andarilhos/ARQUIVO

Em novembro de 2004, na orla da Lagoa da Pampulha, amigos lafaietenses formaram um grupo de caminhada idealizado por Reuber Antoniazzi. Eram aproximadamente uma dezena de amigos. Ao grupo, foi dado o nome de Andarilhos Queluzianos e uma bandeira também foi criada homenageando os caminhantes (andarilhos), a cidade de Conselheiro Lafaiete (Queluz) e também as Violas de Queluz.  Na logomarca elaborada, uma foto de uma verdadeira viola de Queluz, feita pelo nosso inesquecível e saudoso amigo José Robert André, falecido recentemente. Sobre o braço desta viola, foram inseridas as figuras de vários caminhantes. Contornando esta figura, as palavras Andarilhos Queluzianos. Atualmente, o grupo é constituído por 114 integrantes. Este ano, o grupo comemora, com toda pompa, seus 15 aos de existência. Até este momento, já são 180 caminhadas realizadas e um total aproximado de 2.700 Km percorridos.

As caminhadas

As caminhadas são realizadas mensalmente. As caminhadas são realizadas em estradas de terra objetivando mais segurança e permitir o conhecimento da região rural próxima a nossa cidade. Em todas as caminhadas, os andarilhos contam com a participação de carros de apoio que garantem atendimentos necessários aos participantes e a distribuição de água potável.

A filantropia

Desde a primeira caminhada, os andarilhos queluzianos praticam a filantropia de forma habitual. Em várias caminhadas, ocorrem a distribuição de itens como alimentos, roupas e calçados. Em 2011, a direção do grupo experimentou a realização de uma feijoada beneficente para 800 pessoas. O sucesso foi tamanho que este evento passou a figurar no calendário anual de atividades do grupo. Também em 2011, os Andarilhos Queluzianos foram convidados pela diretoria do Clube Dom Pedro II para participarem do tradicional Arraial através de uma barraca de comidas típicas. Esta participação também foi sucesso e, desde então, o Arraial do Clube Dom Pedro passou a contar com a presença e parceria dos Andarilhos Queluzianos em todos os anos. Toda a renda obtida nestes dois grandes eventos é revertida na compra de itens diversos solicitados por várias entidades filantrópicas da cidade.

Laércio Rezende Amaral  –  Andarilho Queluziano