Vereadores voltam a questionar concessionária do rotativo digital

O Vereador e Presidente da Câmara de Lafaiete, Fernando Bandeira (PTB) apresentou o requerimento em que questiona a empresa TI.MOB, concessionária de serviço público do estacionamento rotativo, de suposta mudança da veiculação da placa para o CPF do dono do veículos para recarga de créditos. Bandeira também pediu informações sobre possíveis mudanças no contrato entre a empresa e a prefeitura.

Vereadores questionam sobre o Rotativo de Lafaiete/CORREIO DE MINAS

Ao cobrar da TI. MOB esclarecimentos a relação de todos os funcionários,  o vereador levantou suspeitas de que eles estariam sendo contratados através do Micro Empreendedor Individual. “Recebi estas denúncias e quero investigar, já que, se for este sistema de contratação da empresa, os funcionários estão sendo lesados em seus direitos trabalhistas. Essa manobra é uma terceirização”, assinalou.

O vereador João Paulo (DEM) cobrou da empresa investimentos  em pintura e sinalização. “Se isso acontecer, na contratação pelo MEI, é motivo até mesmo de cancelamento de contrato”. O Vereador Oswaldo Barbosa voltou a cobrar o fracionamento das horas. “Temos que cobrar com mais veemência desta empresa sobre este direito. Não é justo pagar por duas horas e usar apenas meia ou uma hora”, pontuou.

O Vereador Sandro José (PSDB) disse que recebeu denúncias de que na área central os caminhões de reboque ficam a espera para guinchar os carros. Ele citou que somente o veículo pode ser rebocando quando ele estiver totalmente na prancha. “Nossa intenção é aprimorar e qualificar o serviço. Temos consciência de que o rotativo é uma necessidade e não vejo a cidade sem este serviço”, salientou. Já o Vereador Alan Teixeira (PHS) pediu informações sobre a aplicação dos recursos da multa e ressaltou caso a TI.MOB esteja contratado funcionários por MEI, a prefeitura pode ser solidária, em função de alguma ação trabalhista.

Leia mais: Vereador insinua múltipla tarifação de vagas e defende fracionamento de 30 minutos no rotativo

Vereador defende que o horário mínimo do rotativo seja reduzido para meia hora pelo valor de R$0,50

Menos de 2 em cada 10 carros pagam rotativo em Lafaiete e prefeitura deixa de arrecadar quase R$ 4 milhões; fiscalização da PM começa hoje

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *