Vereadores de Lafaiete cobram reabertura da agência e Chico Paulo compara Caixa Econômica a um formigueiro

Vereadores cobraram a reabertura de nova agência da Caixa Econômica/CORREIO DE MINAS

Há quase um ano a Caixa Econômica Federal fechou a sua segunda agência, em Lafaiete. À época, a direção alegou que a unidade Queluz seria deficitária.

Ontem a noite, durante a sessão da Câmara, o tema voltou ao radar dos vereadores com forte teor de críticas à instituição bancária cujos clientes e usuários são obrigados a conviver com o martírio das longas filas e a demora no atendimento.  “Vou sugerir ao presidente desta Casa que façamos um baixo assinado a direção do banco para que providencie a reabertura da agência. A única agência não comporta mais o movimento de Lafaiete e região. È desumano o que as pessoas passam na única unidade que tem em Lafaiete.  Lá é um formigueiro. E pior tinha um posto no São João e também foi fechado. Passou da hora do banco tratar bem os lafaietenses e não impor os clientes a ficar até 2 horas esperando para serem atendidos. Temos que fazer alguma coisa”, protestou Chico Paulo

Segundo a linha de críticas, o vereador Sandro José (PSDB) manifestou preocupação sobre a segurança da agência. “Será que o banco dispõe de plano de evacuação em caso de um incêndio ou problema que surgir? È um risco para os usuários e clientes e principalmente para os funcionários que convivem com a superlotação da agência”, alertou.

Sandro adiantou que sugeriu no ano passado que a Caixa Econômica instalasse na sede da Câmara mais um caixa, sem qualquer custo, porém a proposta não vingou.

Confira matéria relacionada:

Caixa Econômica vira alvo de protesto e vereador sugere que clientes e usuários acionem o PROCON e a PM

FacebooktwitterFacebooktwitter

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *