Sonho realizado: Ernani, o rei da montanha”, vence desafio na Serra da Canastra

Ernani de Souza, o número 1 na Serra da Canastra/Divulgação

“Um sonho antigo que se realizou. Tem alguns anos que eu vinha sonhando em conhecer pelo menos um pouco da Serra da Canastra. Em 2016 eu estava inscrito para uma prova mas não pude ir. Sonho adiado mas agora realizado”.

Assim expressou o multi atleta lafaietense, Ernani de Sousa. Ele disputou neste sábado, dia 25, a 2ª edição da Canastra Warrior. A prova teve sua concentração na pacata Vila de São João Batista da Canastra que fica praticamente dentro do Parque Nacional da Serra da Canastra.

O local é belíssimo, várias trilhas, montanhas de média altura, cachoeiras, animais típicos do serrado brasileiro e uma tranquilidade impar afinal na vila moram apenas 180 pessoas.

Ernani no pódio/Divulgação

Ele disputou a prova na distância de 30 km, a altimetria acumulada desta distância mostrava que seria um percurso rápido. Algumas colinas bem inclinadas iriam minar as energias dos mais desavisados que acelerassem demais no começo da prova. Outro fator determinante para um bom andamento durante a prova seria escolher de forma correta como seria a hidratação e suplementação pois a largada aconteceria as 14 horas ou seja calor extremo.

Atletas do Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, todos loucos de vontade de se jogar nas trilhas, largaram os 13 km, depois os 5 km e por fim nós dos 30 km. Passamos o km 1 com pace de 3:12″, algo impensável pra mim diante dos 33° graus de temperatura e seguia com bloco principal e logo chegamos na primeira trilha técnica onde a fila indiana se formou. Weliton Carius, do Rio de Janeiro, e César Moura, de Uberlândia, logo colocaram um pace alucinante e assim fomos os três abrindo caminho nas trilhas técnicas e estreitas onde muitos retardatários dos 5 km seguiam com dificuldades.

Ernani comemorando a vitória com a máscara símbolo do evento/Divulgação

Passamos pela parte mais técnica da prova, 7 km ficaram para trás, chegamos em um trecho de estradão e logo coloquei meu ritmo e incrivelmente comecei a abrir naturalmente vantagem sobre a dupla que me perseguia.

Logo percebi que eles também se separaram daí em diante começou uma disputa bem interessante. Eu conseguia abrindo um pouco do Weliton nos trechos de subida, ele vinha muito veloz nas descidas e encostava até que chegamos no km 15 onde teria a maior subida da prova. Seriam 3,8 km com um desnível positivo de 400 metros.

Este trecho também serviu como meta de montanha na qual aconteceu uma cronometragem a parte deste trecho para poder coroar o “rei da montanha”.

Já dentro do Parque Nacional Ernani cruzou a linha de chegada em primeiro lugar conquistando também na meta de montanha. “Foi uma bela experiência, um teste de fogo onde coloquei toda energia possível para poder entre outras coisas avaliar o trabalho que estamos desenvolvendo”, avaliou.

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *