Servidores da educação voltam a cobrar redução de carga horária

Mais uma vez, auxiliares de serviços da educação (ASE) e cantineiras foram a sessão da Câmara Municipal na sessão de ontem (27) para pressionar os vereadores em torno do envio, pelo executivo, do projeto de lei que reduz de 35 horas para 30 horas semanais a carga horário da categoria.

Servidores da Educação vão a sessão da Câmara para pressionar vereadores sobre a redução de carga horária/CORREIO DE MINAS

O usar a Tribuna, o Vereador Sandro José (PSDB) assinalou que o projeto é de responsabilidade do executivo. “Nós já estivemos com o prefeito, juntamente com outros colegas com o prefeito que há avia mostrado totalmente favorável a adequação da carga horária. Ele se comprometeu com esta causa. Vamos cobrar novamente esta semana o atendimento a justa demanda da categoria.

Isso não vai impactar em nada no orçamento e não vejo motivos para atrasando esta decisão de atender aos profissionais”, afirmou. “Todos nós estamos empenhados para que o prefeito atenda o pleito dos funcionários”, reforçou Carla Sassi (PSDB).

Pedro Américo (PT0 recordou que a redução da carga horária foi um compromisso do prefeito. “Se é lei, ele tem de cumprir. Se não vai gerar custo, quais motivos desta demora em atender os funcionários”, questionou.

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *