Sem fiscalização, animais soltos nas rodovias seguem provocando tragédias

Será sepultado hoje (9), no Cemitério Vale do Ipê, em Lafaiete, o comerciante, Jair Egg de Miranda. No sábado (7), por volta das 21:00 horas, ele sofreu um grave acidente ao bater sua moto contra uma animal na BR 482, perto da Campus da Unipac, no Bairro Gigante.

A trágica morte soma-se a contabilidade de tantas vidas sacrificadas em função do descaso da falta de fiscalização de animais soltos nas rodovias que cortam Lafaiete. Há 15 dias, quando um motociclista ficou ferido ao bater sua moto contra um animal solto na pista da MG 129, no Bairro Rancho Novo.

Ruas de Lafaiete são constantemente invadidas por animais sem qualquer fiscalização/ CORREIO DE MINAS

Registro de acidentes é recorrente, mas a falta de fiscalização e a omissão expõem a grave situação de alto risco para quem trafega na MG 129 e BR 482. Diariamente são flagrados animais passeando pelas pistas. A situação chegou a ser ridicularizada pela dupla Fernando & Sorocaba quando em meados de julho quando retornavam de um show em Piranga filmaram uma vaca passeando em uma rua no Sagrado Coração de Jesus. A falta de atitude desperta para novas tragédias nas duas rodovias. Até mesmo nas ruas centrais de Lafaiete são vistos cavalos e vacas passeando em meio aos carros.

Cobranças

No final do agosto, os vereadores cobraram com rigor o cumprimento da Lei nº 5.619, sancionada pelo ex prefeito Ivar Cerqueira, em 2014. A legislação estabelece sanções, punições e multas aos proprietários que deixaram seus animais soltos nas vias públicas. A lei prevê até mesmo a apreensão e o leilão dos animais apreendidos. “Todos sabem que são dos donos dos animais soltos na BR 482”, disse. Ela relatou que os animais são recolhidos mais voltam aos seus donos de origem. Ela relatou o Centro de Zoonoses já foi arrombado vários vezes e os animais retirados a força do local.

O Vereador Fernando Bandeira (PTB) e Pedro Américo (PT) cobraram uma ação urgente do poder público e aplicação imediata da lei municipal.

Situação

Porém, Lafaiete carece de um espaço adequado para receber os animais recolhidos nas vias públicas. Por outro lado, no dia 18 de dezembro de 2018, as equipes da Prefeitura de Ouro Branco, Gerdau e Codap se reuniram para analisar os detalhes para a criação do Curral Regional. A Gerdau repassou uma área de 2,4 hectares (comodato com duração de 10 anos) e os perfis para a construção do Curral Regional que será construído próximo ao Centro de Referência de Agricultura Familiar em Territórios Mineradores, em Ouro Branco.

Leia mais: Cavalos passeiam no centro de Lafaiete e viram atração

Animal na pista provoca acidente na Estrada Real

Lafaiete: vereadores endurecem discurso e cobram recolhimento de animais nas ruas

 

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *