Secretário de Estado reconhece empobrecimento da região, prega investimentos e anuncia termoelétrica de R$1,7 bi em Queluzito

A pauta do desenvolvimento econômico regional dominou encontro histórico de associações regionais. Hoje,  dia 10, prefeitos, gestores e lideranças políticas regionais e estaduais se reuniram no Restaurante Toque de Minas, em Queluzito, para o primeiro encontro conjunto das principais associações de integração intermunicipal de Minas Gerais: Amalpa (Associação dos Municípios da Microrregião do Alto Paraopeba), Amma (Associação dos Municípios da Microrregião da Mantiqueira) e Amver (Associação dos Municípios da Microrregião dos Campos Vertentes). A construção de uma agenda de retomada econômica e a união de esforços para o enfrentamento de problemas comuns foram os grandes destaques do evento que contou representantes de mais de 40 cidades, além do secretário de Estado adjunto de Desenvolvimento Econômico, Adriano Magalhães Chaves.

Encontro com mais de 40 prefeitos discutiu agenda econômica da região

Na oportunidade, os prefeitos expuseram o descontentamento quanto à situação que enfrentam em seus municípios. De acordo com os gestores, tal realidade os obriga a “cortar na carne” as políticas e serviços públicos, o que impacta significativamente na qualidade de vida da população. “Este é um momento histórico. É chegada a hora de unirmos forças para superarmos a situação de abandono de nossa região, fruto do desgoverno no Estado e a ‘posse’ de recursos pertencentes aos municípios”, desabafou o prefeito de Ouro Branco, Hélio Campos (PSDB), que durante sua fala aproveitou para criticar o atraso de repasses estaduais aos municípios, que, segundo o prefeito, chegariam a ordem de R$ 12 bilhões.

Dentre as reivindicações dos gestores esteve a precariedade das principais rodovias que cortam a região, especialmente a BR040, no trecho entre Congonhas e Lafaiete, e cobraram celeridade na retomada da licitação da via. De acordo com eles, a presença de 10 praças de pedágio ao longo da rodovia não é revertida em melhorias nas condições da rodovia.

Secretário Adjunto reconheceu falta de investimentos na região

Presente ao encontro, o deputado Estadual Glaycon Franco (PV) fez coro às queixas e elencou diversos problemas sociais e econômicos enfrentados pelos municípios, os quais, para ele “constituem gargalos frente ao grande potencial dos municípios. “A reunião entre as três associações foi também um grande momento para a entrega de cartas de intenções a representantes do Estado e da União. A expectativa ficou por conta da presença do senador Rodrigo Pacheco (PMDB), mas que não pôde comparecer. As reivindicações serão levadas às autoridades por intermédio do presidente da Amalpa e prefeito de Queluzito, Célio Pereira, o Celinho.

Empobrecimento

Hélio Campos criticou a situação financeira dos municípios e cobrou mobilização para superar problemas comuns

O Secretário Adjunto, Adriano Magalhães, apontou que o atual governo herdou R$28 bi de contas não pagas desde 2014. A dívida do Estado chega a R$127 bi. “A situação é alarmante, mas precisamos sair da inércia, senão o Estado entra em colapso”, avaliou.

Ele defendeu a descentralização dos investimentos historicamente centralizados nas regiões da Zona da Mata e Triângulo Mineiro. Adriano considerou o empobrecimento do Alto Paraopeba, Vale do Piranga e Vertentes diante do vazio econômico e defendeu um novo olhar do Estado para as regiões. Apesar de abrigar grandes empresas, entre elas, Gerdau, Vale, CSN, VSB, elas não foram capazes de alavancar o desenvolvimento. Isso reflete na migração de moradores para Belo Horizonte. “Precisamos despertar a vocação regional da região para uma nova agenda econômica”, destacou citando a região o leite como um potencial através dos lácteos.

Gasoduto e usina termoelétrica

Adriano Magalhães apontou um cenário positivo para a região com a expectativa de investimentos, a partir do ramal do gasoduto instalado na região e a possibilidade de construção de um 3º pela Samarco. Mas a principal notícia, já discutida há mais de 5 anos, é a instalação de uma usina termoelétrica em Queluzito, tema que ganhou força nos últimos 2 anos. Adriano adiantou que já está em fase de estudos e análise e até mesmo de conversas com o Governo Federal a construção da obra com investimento previsto de R$1,7 bi com previsão de início em 2021. Entusiasmado com a notícia, o prefeito Celinho afirmou que a termoelétrica trará reflexos para a economia regional.

Política

A política também foi o centro das discussões tendo como principal tema a unificação das eleições com a prorrogação dos mandatos dos atuais prefeitos e  vereadores até 2022.

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *