Projeto pedagógico enaltece beleza de ipês amarelos em Congonhas

Prefeitura disponibilizará cerca de duas mil mudas da árvore para plantio

O azul do céu de setembro combina perfeitamente com o amarelo dos ipês espalhados por Congonhas, deixando a cidade ainda mais charmosa nesta época do ano. Essas belezas chamaram a atenção de alunos do 3º ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal Engenheiro Oscar Weinschenck que, sob orientação da professora Regiana Gonçalves, desenvolveram o projeto “Nossos Ipês”, resgatando a história da arborização urbana e outras curiosidades. Paralelo a isso, a Secretaria de Meio Ambiente vai lançar no Dia da Árvore (21 de setembro) uma campanha para plantio de duas mil mudas de ipês.

Apesar de não terem sido encontrados registros oficiais, a plantação de ipês pela cidade começou com uma campanha promovida pelo ex-prefeito Altary de Souza, em setembro de 1980. A professora Regiana Gonçalves explica que, durante a pesquisa, encontrou uma foto do ex-prefeito Altary plantando uma muda da árvore na Praça JK, no dia 7 de Setembro. “Depois a árvore foi cortada, por conta da expansão. Houve, à época, um concurso de redação para os alunos, com os temas ‘A árvore que já morreu’ e a ‘Árvore que ainda vive’. Ele plantou essa árvore no dia em que ele fez a entrega do prêmio do concurso. Quem venceu foi a Maria de Lourdes Reis, que tinha 14 anos”, explicou a professora Regiana Gonçalves.

Após conhecer a história dos ipês de Congonhas, os alunos visitaram os locais onde eles estão plantados e desenvolveram diversas atividades dentro das disciplinas de Português, Literatura, Artes, Ensino Religioso, História e Ciências. “Muitos não sabiam que essas árvores que estão próximas de nós eram ipês amarelos. No trabalho de observação, eles observaram que o espaço estava mal cuidado, com sacolas de lixo. Pedimos os moradores que não coloquem os lixos mais nos pés das árvores”, completou a professora, que começou a se interessar pelos ipês ainda na infância, quando sua avó, Alexandra, e sua mãe, Maria Luiza, mostravam as árvores pela estrada de Santa Quitéria.

“O projeto foi bom e gostamos muito. Saímos da escola e vimos os ipês. Gostamos muito de desenhar os ipês, o antes e o depois. Os ipês são muito bonitos e muito grandes. Quando eles ficam cheio de folhas, ninguém nota, mas algumas pessoas cuidam deles. Quando chega a época da florada, eles ficam bonitos”, disseram os alunos Arthur Santos e Ana Luiza Rezende.

O projeto contou com a colaboração do historiador André Candreva e do arquiteto e urbanista Hugo Cordeiro, que, inclusive, começou a catalogar as árvores de Congonhas.

Plantio de mudas

O Município, por meio de medidas compensatórias determinadas pelo Conselho Municipal de Defesa e Conservação do Meio Ambiente (CODEMA), vai receber cerca de quatro mil mudas de árvores nativas, entre elas, cerca de 2 mil serão de ipês para serem plantados em áreas públicas e particulares.

Com intuito de ampliar a já tão admirada época, quando os ipês florescem na cidade de Congonhas, servindo de referência e contribuído com o embelezamento da cidade, a Secretaria de Meio Ambiente resolveu potencializar o plantio na área urbana, doando diversas mudas para pessoas ou instituições que queiram realizar seu plantio de forma voluntária.

No Dia da Árvore, celebrado em 21 de setembro, serão disponibilizadas as primeiras 2 mil mudas, podendo os interessados já se cadastrarem na Secretaria de Meio Ambiente, à av. Júlia Kubitschek, 230, Centro.

O município também desenvolve alguns programas diversificados, como o plantio de 25  mudas de ipês mirins nas creches municipais e as constantes doações de mudas aos munícipes.

FacebooktwitterFacebooktwitter

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *