Prevenção ao suicídio agora é lei em Lafaiete e Barbacena

Campanha Setembro Amarelo em Barbacena/Reprodução

O suicídio é um assunto de saúde pública mundial, gurando entre as dez principais causas de morte da humanidade, constituindo grave problema social, econômico, familiar e investigativo. O Brasil é o oitavo país em número de suicídios, a quarta nação latino-americana com o maior crescimento entre os anos de 2000 a 2012 e Minas Gerais, um dos Estados de elevada incidência.

Na área do 13º Departamento da Polícia Civil, foi confirmado o aumento significativo de suicídios consumados, entre janeiro de 2014 e maio de 2016, vitimando preponderantemente jovens adultos e pré adolescentes. A Polícia Civil, através do 13º Departamento, aderiu a Campanha de Prevenção ao Suicídio da Organização Mundial de Saúde (OMS), e, em 2016, desenvolveu no mês de setembro a “ Campanha Setembro Amarelo”, mês de valorização a vida e prevenção ao suicídio, sendo que o dia 10, é considerado o dia mundial de prevenção ao suicídio. Através de diversas parcerias, como: Prefeituras Municipais, Aeronáutica, Exército, Polícia Militar, Bombeiro Militar, Guardas Municipais, Maçonaria, Associações Comerciais, Igrejas, Escolas, Hospitais, Faculdades/Universidades, empresários e outras, foram desenvolvidas várias ações no decorrer do mês de Setembro nas cidades de Barbacena, Conselheiro Lafaiete e São João Del Rei, tais como: Caminhadas, motociatas, palestras, noites culturais, ações sociais, iluminação dos prédios públicos na cor amarela, ou decorados com a mesma cor, concurso de redação entre as Escolas com premiação e outras. A união das sociedades foi tão expressiva e significativa que na cidade de Barbacena e Conselheiro Lafaiete, as Câmaras Municipais aprovaram por unanimidade o Projeto “Setembro Amarelo: Mês de Prevenção ao Suicídio e Valorização da Vida”, atribuindo a Lei 4803/17 da Prefeitura Municipal de Barbacena, a coordenação da campanha à Polícia Civil em convênio com o município.

Fonte: Vertentes das Gerais

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *