Prefeitura discute com mineradoras ações para diminuir a poeira em Congonhas

Mineradoras discutem ações para diminuir o impacto da poeira/Divulgação

A Prefeitura de Congonhas deu início a construção do Programa Municipal de Combate a Poeira, por meio da Secretaria de Meio Ambiente. O programa vai avaliar, nos próximos meses, as áreas de contribuição de cada empresa, para que se possa elaborar um inventário que subsidiará um plano de ações e metas. Este tem como objetivo principal reduzir a poeira que afeta toda a cidade, principalmente em períodos longos de seca e estiagem.

A proposta que é coordenada pela Secretaria de Meio Ambiente, contou com a participação neste primeiro momento das maiores empresas minero siderúrgicas do município, localizadas sobretudo no “corredor da poeira”, cuja atividade afeta visivelmente a área urbana de Congonhas, podendo colocar em risco o equilíbrio ambiental, a saúde e a qualidade de vida de toda população.

Nesta primeira fase, representantes da Vale, CSN, Ferrous, Ferro + Mineração, Gerdau Açominas e LGA Mineração se mostraram otimistas com a proposta que pretende compartilhar as boas experiências de cada empresa, além de buscar novas tecnologias para combater a poeira, com objetivo de construir um plano de ações e metas que poderá ser adotado por todos, reduzindo custos e aumentando a eficiência no controle de material particulado (partículas muito finas suspensas no ar), que um problema que se agrava a cada ano no município.

Durante encontro com os representantes das empresas, o prefeito Zelinho destacou a importância desta iniciativa e da participação de todas as empresas, na busca de uma solução que poderá repercutir positivamente tanto na qualidade de vida da cidade, quanto na imagem das empresas, haja vista que é um problema recorrente, que se agrava a cada ano.

Poeira é um dos graves problemas enfrentados na produção do minério/Reprodução

O secretário municipal de Meio Ambiente, Neylor Aarão, explicou que a princípio a adesão ao plano será feita de forma voluntária. Mas até o princípio de 2018 será encaminhado à Câmara Municipal um projeto de lei que, quando aprovado, tornará a adesão a este plano uma obrigação legal das empresas minero-siderúrgicas.

“Nosso objetivo nada mais é do que reduzir a poeira que afeta nossa cidade e nossa saúde. Não adianta dizer que estão trabalhando dentro dos parâmetros legais. Cada morador sabe o que sofre e o quanto esta situação piora a cada ano. E se for preciso até mesmo encaminharemos uma lei para a Câmara Municipal, tornando os índices estaduais e federais menos tolerantes a poeira, reduzindo o nível permitido para este tipo de poluição que não afeta somente o meio ambiente, mas a saúde e o bem estar em toda cidade” – Concluiu Neylor Aarão.

Além dos representantes das empresas, do prefeito Zelinho e do secretário Neylor, participaram da reunião outras duas servidoras da Secretaria de Meio Ambiente: a diretora de Gestão Ambiental, Diana Sena, e a coordenadora de Áreas Protegidas, Marlene Barbosa.

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *