Participação popular será fundamental para efetivar o plano de ações do trânsito de Lafaiete

A participar popular, das entidades e da sociedade civil serão peças fundamentais para a efetividade do Plano de Ação Imediata de Trânsito (PAIT) que será apresentado até dia 28 de maio do ano que vem pelas Gerdau, Vale e Ferrous.

O Termo de Compromisso Preliminar assinado pelas empresas, Ministério Público e a prefeitura foi detalhado esta manhã em Lafaiete durante coletiva a imprensa. O estudo será desenvolvido pela PMSouto Engenharia e Consultoria através do financiamento das grandes empresas.

A prefeitura terá que apresentar até 28 de novembro de 2018 de um cronograma físico financeiro de execução e intervenções previstas no plano de ação.

O Município ainda terá um ano para aprovar na Câmara o Plano de Mobilidade Urbana, o que corresponde a maio de 2020, em acordo com plano apresentado através da criação e capacitação de um núcleo gestor, realização de audiências públicas, entre outras medidas.

Repercussão

Autoridades presentes no evento hoje de manhã/CORREIO DE MINAS

O Promotor Glauco Peregrino exaltou a iniciativa da parceria como também ressaltou o olhar técnico do plano sobre o trânsito da cidade. “Será uma parceria para enxergarmos o trânsito de maneira técnica e com ações imediatas, de médio e longo prazos. A intenção é levantar um diagnóstico e propor ações em discussão com a sociedade”, afirmou.

Segundo Peregrino, a justificativa para chegar ao acordo com as empresas foi o tráfego de muitos ônibus de empresas terceirizadas que fazem o transporte dos colaboradores de Conselheiro Lafaiete até as usinas e vice-versa. “Conversamos com as grandes empresas regionais sobre a necessidade de compatibilizarmos essa atividade de transporte com o sistema viário urbano, que é muito antigo e deficiente. Daí evoluímos a conversa para a contratação de uma empresa especializada em engenharia de tráfego que pudesse estudar todas as características do trânsito em Conselheiro Lafaiete e apresentar propostas de adequações que melhorassem a gestão e, consequentemente, a fluidez do tráfego.  Ferrous, Gerdau e Vale mostraram-se sensíveis com o problema e, após alguns meses de negociação, ajustaram com o Ministério Público e o Município de Conselheiro Lafaiete o custeio desse importante estudo, que certamente resultará em benefícios a toda a população lafaietense”, assinalou.

O representante da Gerdau, e Assis Lafetá Couto, destacou o plano como instrumento de sustentabilidade do trânsito, mas cobrou participação popular na implementação das ações. “A participação nas audiências, a participação das entidades e associações serão fundamentais na efetividade do plano”.

Ricardo de Oliveira, representante da Vale em Minas, reforçou o papel de responsabilidade social da empresa nas comunidades onde está inserida.

O prefeito Mário Marcus (DEM) destacou o momento de transformação por que passa Lafaiete em seu planejamento urbano e organização social. “Lafaiete cresceu sem planejamento e estamos até um pouco atrasados neste sentido. Agradecemos a parceria do Ministério Público e das empresas em buscar soluções para a nossa cidade”, avaliou.

Ele disse que já está em licitação o geo-referenciamento de Lafaiete que atualizará o cadastro imobiliário permitindo maior arrecadação com justiça tributária.

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *