Operação da PF em Barbacena afunda a cidade em mais duas CPIs

Vereadores se mobilizam agora em três CPIs para “passar a limpo” a cidade (Divulgação)

O caldeirão político vivido na cidade de Barbacena, após a Operação “Desvia” da Polícia Federal promete ferver, ainda mais, nos próximos meses. Foram instaladas mais duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) na sessão de terça-feira (4).

O apetite dos vereadores em fiscalizar a administração atual e as antecessoras surge no momento em que as eleições municipais se avizinham. A combinação explosiva pode provocar um apagão e adiar a divulgação da lista dos nomes dos prefeitáveis para 2020. Vale lembrar ainda os possíveis desdobramentos da ação da PF que está com documentos referentes a quase 20 anos de gestão do município.

A primeira CPI instalada visa apurar supostas irregularidades de superfaturamento em licitações na Secretaria Municipal de Saúde e Programas Sociais, fatos que motivaram a operação da Polícia Federal.

Outra investigação vai apurar possíveis ilícitos envolvendo o secretário Municipal de Planejamento e Gestão do Município, no setor de contratos e outros setores da Prefeitura.

Foi instalada, ainda, a CPI para apurar irregularidades em administrações passadas e atual envolvendo recursos do Ministério das Cidades para construção de moradias, no valor de R$ 19,2 milhões no residencial São Francisco. Ainda no requerimento, são elencadas solicitações de apuração de recursos para ampliação do Esgotamento Sanitário, Construção e Reforma de Quadras Esportivas. O Regimento da Câmara de Barbacena dispõe que é possível a abertura de até seis CPIs. (Fonte: Vertentes Online)

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *