Nepotismo ou não? Sobrinho de Ivar alega que denúncia tem motivação política

DSCF4897
O assessor Jurídico, Francisco do Carmo, e Roney de Almeida Neto, Diretor Interino do CASIP

O Sobrinho do prefeito Ivar, Roney Alexandre Cerqueira Neto, contestou a acusação de que o cargo de Diretor Interino, no Consórcio Público de Iluminação Pública (CASIP), tenha viés de prática de nepotismo. Ele é sobrinho do chefe do executivo.

A denúncia foi encaminhada à Câmara Municipal pelo servidor público, Fabiano Rodrigues Zebral, há 15 dias. Em entrevista coletiva na sede do CASIP, Roney, acompanhado pelo Assessor Jurídico, Francisco do Carmo, criticou a denúncia, segundo ele, motivada por suposta perseguição política. “Há mais de 2 anos o CASIP funciona sem qualquer questionamento e prestando um grande serviço na área a 9 municípios. Porque somente agora as pessoas fazem esta denúncias?”, questionou Roney.

Segundo ele, há cerca de 20 dias, antes da denúncia, Fabiano ocupava um cargo de confiança na procuradoria do município, porém foi demitido. “Fiquei surpreso com a denúncia principalmente neste momento. Desde o início nos pautamos pela legalidade, inclusive todos podem saber dos princípios defendidos pelo prefeito Ivar. Não há qualquer privilégio e estamos exercendo o cargo com total dedicação, legalidade e transparência. Soa-me estranho de que ele não fez esta denúncia antes, já que tinha conhecimento de que eu trabalhava no CASIP”, comentou Roney.

Para ele, sua nomeação não afronta a lei municipal sobre o nepotismo. “Eu não fui nomeado nem designado pelo prefeito Ivar. Ele não foi presidente do Consórcio. À época fui nomeado pelo prefeito de Catas Altas da Noruega, Gérson Lobo Neiva. Então não há nepotismo”, contestou. “No direito nada é absoluto. Não estou aqui exercendo o cargo em benefício próprio e nada está fora da lei. Volto a frisar que não existe nepotismo, pois não fui nomeado pelo prefeito Ivar”, confirmou. Segundo ele, o município de Lafaiete não é ente federativo responsável, mas sim os 9 municípios que integram o CASIP. “Fizemos uma licitação na prefeitura por questão de espaço e comodidade. Não mais do que isso”, afirmou contestando a denúncia. O caso de suposto nepotismo já está sob análise do Ministério Público.

Ampliação dos serviços

No dia 30, o CASIP promoveu licitação para a contratação de empresa para prestação de serviços na iluminação pública. Até então o serviço do CASIP se restringe apenas a troca de luminárias. Com a licitação, a nova empresa, ainda a ser contratada, poderá oferecer serviços como troca colocação de postes e transformadores e até mesmo de expansão de redes. Mas o serviço depende de aprovação da CEMIG.

A prefeitura de Lafaiete espera em breve, com a nova empresa, iluminar todo a prolongamento da Avenida Marechal Floriano.

Fotos:CORREIO DE MINAS

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *