Mulher acusa militares de supostas agressões durante abordagem; veja vídeo

Eram por volta das 16:30 horas, deste domingo, quando o casal Jeniffer Lorena e Alisson dos Santos, ambos com 19 anos, deixaram sua casa para buscar leite para o filho de apenas 40 dias de vida. Na divisa entre os bairros Lourdes e Cachoeira, eles foram abordados por uma viatura quando empreenderam fuga já que Alisson era inabilitado. Em certa altura, eles foram alcançados pelos militares.

Segundo Jeniffer, os militares chegaram agredidos o casal. Um deles foi para cima do esposo que, segundo ela, ficou com o joelho trincado. Já Jenifer ficou com o rosto coberto de hematomas após a abordagem.

A mulher relatou que levou um soco no olho e que um dos militares subiram em cima dela que ainda estava se recuperando de uma cesárea. Ela conta que pediu para o policial parar com as agressões, pois ela não estava reagindo e estava sentindo muita dor. “O policial riu dela e pisou mais forte”, disse a nossa reportagem. Jennifer assinalou a nossa reportagem que pediu para acionar um policial do sexo feminino pois ele não poderia colocar a mão nela, por ela ser mulher.

Jeniffer mostrou hematomas sofridos durante abordagem policial/ DIVULGAÇÃO

A gritaria e confusão que se formaram atraíram curiosos que filmaram as cenas das supostas agressões. Diversas viaturas chegaram ao local para ajudar na abordagem. Depois de mais de 30 minutos o casal foi encaminhado a policlínica para auto de corpo delito e em seguida a delegacia.  Alisson permanece detido, já que segundo sua esposa, os policiais disseram que ele teria ingerido bebida alcoólica, porém Jeniffer ressaltou não foi realizado teste de bafômetro.

Agora a pouco, ainda muito revoltada e abatida, Jenifer procurou o atendimento médico no PSF da Cachoeira pois está com fortes dores e vômitos. Ela afirmou que acionou um advogado para atuar no caso e tarde irá denunciar a situação ao Ministério Público.

O outro lado

Nossa reportagem procurou o 31º Batalhão de Polícia em Lafaiete através do Capitão Tassinari. Ele informou que a corporação se manifestaria apenas quando a vítima denunciasse o fato a PM, mas já há uma apuração interna. Nas redes sociais, os vídeos vazaram e chocam pelas cenas fortes.

Veja Vídeo:

 

 

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *