Mega projeto propõe Parceria Pública Privada para construção do Centro Administrativo e nova Rodoviária de Lafaiete

Projeto prevê que rodoviária seja transformada em um centro administrativo agregando todos os serviços públicos/Reprodução

Privilegiar o uso do transporte coletivo, embelezar a Região Central com conforto, mobilidade, sustentabilidade e construir com Parceria Pública e Privada – PPP este é o projeto do Sr. Edson Luiz Lopes Correa, Lafaietense, conhecido como Didi, empresário do “CARTÓRIO RÁPIDO” e despachante imobiliário apresenta a sociedade nesta entrevista site  Correio de Minas.

O projeto tem como propostas transformar a atual Rodoviária no Centro Administrativo onde concentraria todas as secretarias municipais, órgãos públicos da esfera federal e estadual, acrescido de restaurante popular, estacionamentos e terminal de integração do transporte público por exemplo. O prédio terá aproximadamente 2.900 quadrados cada pavimento, sendo projetados 04 andares com elevadores e vai abrigar de até 2.000 servidores e estacionamento para 150 carros. O projeto traz também que a nova rodoviária deva ser construída as margens da BR 040 próximo ao Bairro Carijós.  Lei-a a entrevista abaixo:

Entrevista

Jornal: Você é o idealizador e organizou um projeto para construção de uma nova Rodoviária e uma nova Prefeitura para nossa cidade.

Didi: Sim, depois de pesquisas e fazer uma avaliação durante dez meses em nossa cidade, principalmente em nossa Rodoviária e em nossa Prefeitura, uma cidade polo comercial precisa urgente de uma mudança necessária para comodidade e melhoria de atendimento dos moradores de Conselheiro Lafaiete e de cidades vizinhas. Depois dessa pesquisa e de conversa com pessoas que participam de entidades importantes de nossa cidade, tive a oportunidade de entrar em contato com profissionais liberais, parceiros como Yuri Philippe Pinto da Costa, engenheiro civil, graduado na Universidade Federal de São João del-Rei, Bruno Dias Lana, natural de Conselheiro Lafaiete, arquiteto e urbanista, graduado na Universidade Federal de Viçosa, especialista em gestão urbana pela Universidade Técnica de Berlim, tendo trabalhado 04 anos na prefeitura de contagem, Roxane Aparecida do Nascimento, natural de Conselheiro Lafaiete, engenheira civil, pela Escola de Engenharia Kenedy em Belo Horizonte e Cléber Múcio Morais, advogado, especialista em gestão de estratégias, acelerador de resultados e terapeuta financeiro que nos ajudaram na elaboração desse meu projeto e que hoje ele é um projeto voltado para toda sociedade Lafaietense.

Jornal: Como você organizou esses projetos?

Didi: Primeiro, realizei um diagnóstico preliminar que possibilitou conhecer melhor a realidade da cidade nos mostrando os enormes desafios que uma gestão pública deverá enfrentar para planejar a cidade em relação a mobilidade urbana –transito e transporte público e o funcionamento dos  serviços públicos. A nossa ideia foi pensar um projeto  que ajudasse à administração pública a  enfrentar esses problemas trazendo benefícios tanto do ponto de vista econômico como também de cidadania.

A futura Rodoviária, depois de pesquisas chegamos á conclusão e concordância que o local estratégico seria na BR 040 no Bairro Carijós numa área de fácil acesso de mobilidade, próximo ao centro a cidade com boa infraestrutura de serviços ligados a hotelaria, alimentação, supermercados e comercio em geral sem falar o número maior de embarque e desembarque de ônibus que transitam pela BR-040.

Projeto já foi apresentado a diversos segmentos da sociedade como a Câmara Municipal e recebe elogios

Jornal: E onde hoje é a Rodoviária seria a nova Prefeitura?

Didi: Sim. O prédio da Prefeitura não atende com conforto, acessibilidade e agilidade todos os serviços prestados pela Administração Pública.  Você tem que se deslocar a outros lugares para resolver problemas tornando difícil para o contribuinte, tornando a burocracia maior. Sendo assim, o projeto propõe criar o Centro Administrativo-CA, onde seria construído  um prédio com 04 pavimentos, com área de aproximadamente  2.900 metros quadrados cada pavimento.

Sendo que no primeiro pavimento seria avaliado um projeto para ser construído um RESTAURANTE POPULAR, para atendimento de aproximadamente 2.000 mil refeições por dia, um empreendimento de grande interesse social, já necessário para nossa comunidade atendendo aos comerciários, comerciantes e a comunidade em geral. Sem falar que um restaurante popular incentiva a produção de  hortaliça agroecológica através de cooperativas de agricultores familiares gerando renda e trabalho.

Ainda para ser analisado, o Engenheiro Yuri Philippe Pinto da Costa entende conveniente estudo para construção de um reservatório sob a área de estacionamento para recolher água de chuva evitando assim problemas constantes de enchentes na Avenida Prefeito Telesforo Cândido de Rezende. Ainda no primeiro pavimento também para uma análise e aprovação da comunidade a construção de um shopping popular.

A partir do segundo pavimento seriam destinadas aos setores da prefeitura e mais outras entidades se for de interesse das partes iria favorecer nossa comunidade como POSTO INTEGRADO DE SEGURANÇA PÚBLICA E DE POLÍTICAS SOCIAS, CENTRO DE INFORMAÇÃO TURISTICA E DE INFORMAÇÕES AO CIDADÃO, dentre outras. Como você podem ver o projeto traz benefícios sociais e econômico sustentáveis para a cidade.

Jornal: De onde viriam os recursos já que esse empreendimento deva custar milhões de reais?

Didi: O nosso cálculo preliminar está em torno de 30 a 40 milhões. Agora estamos trazendo a proposta de construir a obra através de uma Parceria Pública Privada, já que sabemos as dificuldades que passam a prefeitura no momento econômico do país. De toda maneira os valores acima citados sem dúvida, dependerá do poder executivo em relação a sua  contrapartida em  parceria com a iniciativa privada.

Jornal: Você já apresentou esse projeto para o prefeito municipal.

Didi: Não. Entendi que primeiro precisaríamos buscar apoio e ouvir a opinião da sociedade, o que pensa  os empresários, os profissionais liberais, os movimentos sociais, pessoas usuárias  do transporte público, amigos, etc. Para nos termos um parâmetro e ver qual eram as opiniões, as ideias  e o que eles pensavam  sobre o projeto. Como o resultado foi positivo, tivemos a ideia de apresentar a proposta à Câmara dos Vereadores que nos receberam muito bem, gostaram do que viram. O Jurídico da Casa Legislativa que estava presente ao encontro se manifestou favorável ao projeto e opinou que existe legalidade da obra ser realizada através da Parceria Pública e Privada-PPP. Os próprios vereadores aprovaram marcar uma conversa com Prefeito Mário Marcus, o que deve acontecer depois do recesso parlamentar.

Jornal: Finalizando nossa entrevista. Qual a sua perspectiva quanto à opinião do Prefeito com relação ao projeto?

Didi: Primeiro quero agradecer o Correio de Minas por nos ter convidado para falar sobre o nosso projeto. Segundo, que já estamos felizes pelo apoio que já recebemos até o momento por setores importantes da sociedade. Quanto a pergunta, é evidente que  estamos torcendo para que o Prefeito e sua equipe de governo possa apoiar e sinalizar positivamente para que o projeto possa virar realidade num curto prazo de tempo. Lafaiete necessita urgentemente realizar uma obra estruturadora  urbanística,cultural,social e ambiental, uma obra que mexe com a cidade, que a torne viva, bonita, cuidada  e  nos proporcionando  conforto, modernidade e sustentabilidade.

 

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *