Lavagem de roupa suja em Congonhas: vereador defende redução de 50% nos salários e reunião vira bate boca

Adivar Geraldo Barbosa
Adivar Geraldo Barbosa

Em meio a troca de insultos e provocações, os vereadores de Congonhas “lavaram roupa suja” durante a primeira reunião de abertura da legislatura 2017/2020.

Feliciano Duarte Monteiro
Feliciano Duarte Monteiro

Diversos vereadores bateram boca arrancando aplausos da plateia que lotou as dependências da Câmara. Até mesmo correligionários do PSDB trocaram farpas em torno da eleição da Casa vencida pelo vereador Adivar Geraldo Barbosa. Délcio Damata não deixou por menos e criticou seu colega por ter chamado de “incompetente”. Adivar contra atacou e disse que ele seria deselegante.

A fala que mais chamou e provocou a ira de seus pares e elogios da comunidade veio de Délcio da Mata. Ele usou a tribuna e propôs a redução dos salários do vereadores. “Com o novo aumento o vereador vai ganhar quase R$ 8 mil. A redução vai gerar uma economia de R$ 2 milhões em 4 anos”,

Délcio Geraldo da Mata
Délcio Geraldo da Mata

disse. E continuou seu discurso: “Vamos usar nosso gabinete para que esta Mesa Diretora apresente este projeto e coloque em votação. Vamos lotar este recinto e fazer uma ampla divulgação deste projeto”, afirmou arrancando aplausos. “Com esta economia o prefeito poderia contratar mais de 300 funcionários ganhando R$ 1 mil, já que ele disse que estaria sem condições financeiras de manter os comissionados e contratos pela crise”, discorreu Damata.

Edonias Clementino de Almeida
Edonias Clementino de Almeida

Pastor Evandro e Eduardo Matozinhos também trocaram farpas e críticas à parte na sessão em torno de um projeto, votado no ano passado, que trata do evento do Grande Sermão da Montanha.

A ausência do ex presidente Koelhinho (PT) na reunião foi duramente criticada e  Adivar levantou diversas suspeitas de irregularidades no Centro do Apoio ao Cidadão (CAC) e em gastos de publicidades na sua gestão. Advar também questionou um aditivo de R$ 300 mil para novas obras da Câmara. “Isso no

Vagner Luiz de Souza
Vagner Luiz de Souza

apagar das luzes há menos de 15 dias do final do mandato gera suspeita”, discorreu Adivar.

Eduardo Cordeiro Matosinhos
Eduardo Cordeiro Matosinhos

Redução

Indiretamente, Advar chamou de populismo a redução do salário já que hoje com todos os descontos os vereadores ganham R$4,5 mil. “Não tenho a carreira política como profissão”, confirmou.

Já Feliciano Duarte disse que a proposta de Délcio é como “jogar para torcida”. “Se o senhor quiser doe seu salário para uma instituição de caridade”, sugeriu. “Ai se você der”, insinuou o vereador Adonias de Almeida, afirmando que poucas horas até o deslocamento da sua casa até a Câmara recebeu diversos pedidos de ajuda, entre os quais comida e emprego.

Fotos:Reprodução

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *