Jogo de Cintura- Que país é este?

Que país é este?

Dormimos esta noite com uma presidenta e acordamos com um “presidento”! Que coisa estranha, né? Dormir com uma mulher e acordar com um homem. Isso acontece porque é próprio da Democracia, este sistema político, tão propalado pelo mundo afora como o que mais se aproxima da perfeição, embora eu tenha lá minhas dúvidas, que não divido com ninguém…

Para não deixar dúvidas, sempre fui e sou contra o instituto do impeachment ou impedimento como está na constituição. Já erramos uma vez, na era Collor, e muito provavelmente estamos errando novamente, na era Dilma.

Ainda que eu não goste deste famigerado instituto, quero deixar claro também que não gosto mais da Dilma, como já gostei no primeiro mandato, e já não gosto mais tanto do PT; aliás no batido da lata, nem sei o tanto de 0 a 32%, qual seria a média de minha simpatia pelo PT, como cheguei a gostar, sobretudo nos idos de 80. Até então tínhamos uma militância aguerrida, que sabia para onde ir e sabia se organizar. Os tempos eram outros e as dificuldades eram muito maiores, mas aí vêm as eleições diretas e esse partido deixou-se contaminar pela glória do poder e onde o dinheiro corre livre, leve e solto, as tentações são muito maiores. Foi mordido pela mosca azul. Deu no que deu. Não vou desconhecer e desmerecer o que foi feito nos últimos anos. Grandes avanços se fizeram, não resta a menor dúvida; e foi preciso que um operário, sem graduação acadêmica, implantasse várias novas universidades e pólos estudantis, como o que vemos hoje pelo país afora… É verdade também que os pressupostos de uma economia de mercado foram implantados pelo governo, que hoje, covardemente está encapuçado como oposição. Uma oposição medíocre, mesquinha, de uma política rasteira, a serviço de um playboy, que está se mostrando inescrupuloso. Tomara que mudem daqui para frente. Não sei o que virá, e espero que não venha o pior, pois as regras do jogo foram gravemente desrespeitadas. Eleição ganha-se na Urna e nas ruas e não no tapetão, seja ele azul ou verde do Congresso Nacional, como estão fazendo esta semana. O momento não era favorável e não sabemos se vai ficar tranquilo… há muita água para rolar ainda debaixo da ponte. Só temo que possamos cometer a injustiça que foi perpetrada contra Fernando Collor e agora muito provavelmente contra Dilma Roussef. Ela está pagando um preço muito alto, pela afronta que nos fez seu padrinho de no-la ter empurrado goela abaixo em 2010. Vai pagar um preço o alto o senhor Lula da Silva, por ter-se achado o dono da cocada preta. Deu no que deu. Mas um grande mérito ninguém poderá tirar deste governo incompetente e surreal: a Polícia Federal, pelas circunstâncias da vida, teve uma vida folgada e solta. Vamos ver se vai continuar ou se voltaremos à época do FHC, dos engavetadores gerais e da mordaça e corrente na própria PF, como me disse o Delegado Geral da PF, na era FHC, dentro de algum palácio deste país, quando o interpelei por que algumas investigações não andavam, não eram aprofundadas e não caminhavam. Volto a esta coluna, aqui no Jornal Correio de Minas, ainda sem saber responder a esta pergunta, que dá título ao meu retorno a estas páginas: Que país é este? Só o tempo nos dirá, mas espero que estejamos parindo um país melhor para nossos filhos e netos. Até a próxima!

Por: Jose Maria Coelho da silva

pe.jmcs@yahoo.com.br

 

FacebooktwitterFacebooktwitter

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *