Hélio Campos faz balanço positivo de 2017, anuncia pagamento de 13º e critica atraso de repasse do governo estadual de mais de R$1,3 milhão

O prefeito Hélio Campos dialogou com os
servidores para o reajuste salarial/Reprodução

O prefeito de Ouro Branco, Hélio Márcio Campos (PSDB), fez um balanço positivo da sua gestão em 2017 evidenciando o esforço pelo equilíbrio financeiro.  Ao assumir a administração, a dívida herdada chegava a quase R$ 23 milhões. Desde total pouco mais de R$10,5 milhões eram dívidas com o funcionalismo já quitadas.

Para vencer os desafios impostos e colocar o Município nos trilhos ele promoveu uma engenharia financeira incluindo corte drásticos em gastos, revisão de contratos e licitações, corte no custeio da máquina, redução de 13 para 5 secretarias e redução dos salários de prefeito, vice e secretários. Até mesmo o plano de telefonia móvel corporativo foi cortado. Além do rombo nas contas públicas, a cidade vivia um caos como buracos, carros e prédios públicos sucateados e uma geral desorganização. “Foi um ano de dificuldades e de implantação de um novo modelo gerencial buscando a eficiência dos recursos públicos, cortes em todos os setores, sem contudo comprometer áreas prioritárias como saúde. Diminuímos o endividamento para ampliar nossa capacidade de investimento. 2018 foi um ano de uma gestão de responsabilidade e 2018 será de resultados”, avaliou.

Diante deste cenário, ainda o Governo Municipal vivenciou uma queda de arrecadação, quadro superado com transparência, organização, planejamento e austeridade. Investimentos em obras, aumento do salário do funcionalismo e do cartão alimentação dos servidores, captação de cerca de R$2 milhões em convênios, realização do Festival da Batata, há dois anos esquecido, retomadas de obras na educação, como quadras, ampliação de recursos aplicados na saúde, aquisição de veículos, atrações de eventos no esporte e na cultura. Além do retomar o protagonismo regional, Ouro Branco fez seu “dever de casa”. “Nossa cidade no contexto regional estava afastada das decisões regionais. Mas a maior obra foi resgatar a confiança da administração, recuperar a auto estima dos nossos cidadãos e trabalhar exaustivamente pela nossa cidade, com respeito, participação e transparência. 2018 será um ano de mais conquistas”, assinalou Hélio Campos, evidenciando o esforço do secretariado e dos funcionários públicos na busca dos objetivos.

Para o próximo dia 15, está previsto o pagamento integral do 13º salário do funcionalismo público. Se somar as folhas de novembro, dezembro e o 13º salário, a prefeitura está investindo na economia local neste fim de ano mais de R$15 milhões, induzindo e aquecendo o comércio local. “A prefeitura exerce uma função fundamental neste momento de crise de movimentar e incrementar a nossa economia”, assinalou Campos.

Fatal de repasses

Desde o início do segundo semestre de 2017, o Governo do Estado não tem cumprido o repasse de recursos como do ICMS, do FUNDEB, investimentos em transporte escolar e medicamentos aos municípios. Em Ouro Branco a realidade não é diferente. O Governo Municipal desembolsou mais de R$1,3 milhão de recursos próprios para manter serviços. Neste quadro que compromete investimentos do Município, o prefeito Hélio Campos participou na última quinta feira, dia 7, de uma manifestação promovida pela Associação Mineira de Municípios (AMM), que reuniu mais de 300 gestores, para forçar o Governo do Estado a honrar seus compromissos e normalizar os repasses.

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *