Garimpando – Uma rua encantada e seu passado – 12

                                                     Avelina Maria Noronha de Almeida

                                                      avelinaconselheirolafaiete@gmail.com

Um articulista, quando escreve, usa palavras. Ele sonha que suas palavras, tomem vida, tomem asas, atinjam outras mentes, acionem atitudes e muita coisa mais. Em resumo: que renda aquilo que ele escreveu. Às vezes ele consegue, às vezes não.

            Escrevendo sobre a Avenida Santa Matilde, fazendo um retrospecto, fui ao início, digamos à Pré-História dela, quando El-Rei mandou que se abrisse o Caminho Novo, que, depois de muito trabalho, muita luta, muitas dificuldades mas, também, muitas conquistas, em Carijós atingindo as terras onde hoje está o Bairro Santa Matilde.

            Depois veio a epopeia da Inconfidência Mineira, quando, naquelas terras, havia a Estalagem das Bananeiras, citada nos Autos da Devassa porquanto também lá Tiradentes fez suas pregações e o estalajadeiro, João Dias da Mota, foi julgado, condenado, enviado para a África, lá falecendo. Então passaram a residir na Fazenda das Bananeiras o Capitão-mor Comendador José Ignacio Gomes Barbosa e sua esposa Maria Joaquina de São José, pais do Barão de Suassuy. Maria Joaquina era sobrinha do Inconfidente João Dias da Mota. Com o falecimento do Comendador, a propriedade passou para o filho, José Inácio Gomes Barbosa, o Barão de Suassuy, que se casou, em 1823, com Jesuína Tavares de Mello. Com o falecimento do barão e da baronesa, a fazenda passou para as mãos dos familiares da baronesa.

            Um genealogista que não reside em Conselheiro Lafaiete, Thiago, da família Tavares de Mello, que tem um trabalho muito amplo e importante sobre essa genealogia, lendo esta série de artigos entrou em contato comigo e trocamos informações. Há poucos dias ele me comunicou que haverá um encontro da Família Tavares de Mello no domingo, dia 8 de janeiro, no restaurante MOINHO VELHO, no povoado dos Almeidas. Quem for da família Tavares de Mello ou Melo e quiser ir, será ao meio-dia. Não há necessidade de inscrição. Cada participante paga a sua despesa. Tenho certeza de que serão momentos muito felizes.

            Aproveito a “carona” da Fazenda das Bananeiras para me referir à Fazenda da Paraopeba, onde também residiram pessoas dessa família até pouco tempo.

TAVARES DE MELLO NA FAZENDA DA PARAOPEBA

avelina

FAZENDA DA PARAOPEBA – SÉCULO XVIII

Imagem da Internet

Direitos reservados por Ângelo Alves Corrêa

            A foto acima é da Fazenda das Paraopeba no século XVIII. Também nessa fazenda residiram muito tempo pessoas da Família Tavares de Mello.

            Luiz Gonzaga de Mello, filho de José Tavares de Mello, o Filho, e de Joanna de Marcelina Magalhães, casado em primeiras núpcias com Anna Celestina da Silva Campolina e em segundas núpcias com Francisca de Paula Ferreira lá residiu e prosseguiram na fazenda, até pouco tempo, descendentes destes.

            A Fazenda da Paraopeba agora fase final de restauração.

avelina2

FAZENDA DA PARAOPEBA EM FASE FINAL DE RESTAURAÇÃO

Imagem da Internet

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *