Garimpando: Notícias de Conselheiro Lafaiete -12

GARIMPANDO NO ARQUIVO JAIR NORONHA

                                        Avelina Maria Noronha de Almeida

                                                 avelinaconselheirolafaiete@gmail.com

 

                       NOTÍCIAS DE CONSELHEIRO LAFAIETE – 12

 

O PINTOR MAIS ANTIGO DA MATRIZ DE

NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DE CONSELHEIRO LAFAIETE
Avelina Maria Noronha de Almeida

ERA O NOME QUE EU PROCURAVA HAVIA TANTO TEMPO!

 

Imagem da Internet

 

Já próximo ao final da primeira metade do século XVIII, a construção da Matriz de Nossa Senhora da Conceição do Arraial do Campo Alegre dos Carijós foi chegada a hora de receber a pintura. Tive a felicidade de descobrir quem foi o seu primeiro pintor: IGNÁCIO PEREIRA DO AMARAL, por coincidência um de meus sextavós.

            Como aconteceu esta descoberta?

Havia muitos anos eu estava sem conseguir andar na genealogia de meu ramo genealógico RODRIGUES BRAGA, tendo parado em IGNACIO PEREIRA DO AMARAL. Sempre que iniciava as pesquisas, colocava o seu nome, porém nunca encontrava nada.

Certo dia, ao iniciar a pesquisa, pensei: este Ignacio não adianta pesquisar. Só por desencargo de consciência vou colocar sseu nome no Google. Mas vai ser a última vez!!! E ao colocar, o que encontro? Um título assim:

Ciências e Adjacências: Inácio Pereira do Amaral: Um artífice …

cienciaseadjacencias.blogspot.com/2013/08/inacio-pereira-do-amaral-um-artifice.html

02/08/2013 – Sinopse da sua atividade de artífice: Sargento-mor Inácio Pereira do Amaral (N. 1698, Horta, ilha do Faial, Açores – F. Queluz, MG?) – Pintor …

         ERA O NOME QUE EU PROCURAVA HAVIA TANTO TEMPO!!!

Na última restauração da Matriz de Nossa Senhora da Conceição, foram retiradas muitas camadas de tinta, até chegar à primeira pintura, e ela foi respeitada, conforme declaração da restauradora, Rosângela Reis Costa. Assim, a visão que temos agora é das cores iniciais da nossa Matriz. E o primeiro pintor, que usou aquelas cores, foi justamente Ignácio Pereira do Amaral, pintor, escultor e ourives. Nasceu em 1698 na ilha freguesia das Angústias, na vila de Horta, ilha do Faial, nos Açores.

Porto Pim, Angústias, Ilha do Fayal, onde nasceu Ignacio Pereira do Amoral

Imagem da internet

De onde veio para o Rio de Janeiro e, depois para Ouro Preto, onde pintou a Igreja Velha do Rosário dos Pretos e uma imagem de São Jorge e também tinha uma fábrica de pintores.

Quando Teresa ainda era criança, Inácio mudou-se para a freguesia do Campo dos Carijós (atual Conselheiro Lafaiete). Ali, as testemunhas que o conheceram se lembraram dele como pintor, escultor e ourives e também por ter pintado a igreja da Matriz do lugar (a imagem no início desta postagem mostra a fachada atual da igreja com a mesma cor pintada por Ignacio Pereira do Amaral.

Vou transcrever a postagem de Roberto Belisário, embora longa, mas muito importante para a nossa história lafaietense, agradecendo aqui o historiador pelo grande presente que nos legou com sua pesquisa, sendo interessante mais uma coincidência: o autor da postagem, até então desconhecido para mim, sendo eu também uma desconhecida para ele, era meu primo!

Vamos ao importante texto para a História de Conselheiro Lafaiete:

“sexta-feira, 2 de agosto de 2013
Inácio Pereira do Amaral: Um artífice açoriano em Minas Gerais

 

 Esta postagem é endereçada a historiadores da arte mineira do século XVIII.

Encontrei acidentalmente, em um documento no Arquivo Eclesiástico da Arquidiocese de Mariana (especifico a seguir), citações a um artista ou artífice de Minas Gerais (Ouro Preto e Conselheiro Lafaiete) do século XVIII, Inácio Pereira do Amaral. Como não achei quase nenhuma referência à atividade esse senhor em nenhum lugar (por exemplo, não consta do “Dicionário de Artistas e Artífices dos Séculos XIX e XVIII em Minas Gerais”, de Judith Martins, e no mecanismo de busca do site do Arquivo Público Mineiro só houve uma ocorrência, descrita mais abaixo), e como esses dados aparecem em uma fonte inesperada (um processo de ordenação sacerdotal de um neto do Inácio), creio que possa ser informação inédita. Então compartilho-a aqui para o caso de interessar a historiadores.


Sinopse da sua atividade de artífice: Sargento-mor Inácio Pereira do Amaral (N. 1698, Horta, ilha do Faial, Açores – F. Queluz, MG?) – Pintor, escultor e ourives. Teve uma “fábrica com pretos e rapazes pintores” em Ouro Preto, MG. Nessa cidade, pintou a Igreja Velha do Rosário dos Pretos e uma imagem de São Jorge. Em Conselheiro Lafaiete, MG, pintou a igreja da Matriz.

 Abaixo, uma discussão sobre a fonte que consultei; um resumo biográfico; e trechos relevantes do documento consultado.

Índice:
O que são processos de genere


Resumo Biográfico

Documentos

Fonte: Processo de genere de Domingos Bento Salgado (Queluz, 1797 – no índice do arquivo e na capa do documento, consta “1777”). Arquivo Eclesiástico da Arquidiocese de Mariana, armário 5, pasta 769 (Inácio Pereira do Amaral era avô materno deste Domingos Bento Salgado). As informações sobre as atividades de Inácio como artífice aparecem nos depoimentos de testemunhas que o conheceram. Vide seção ‘documentos’ abaixo.”

(Continua)

 

 

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *