Fé, devoção e história: começa na próxima quinta-feira a festa da “santa que caiu do céu”

Imagem de Nossa Senhora das Graças caiu de um avião em pane que sobrevoava Catas Altas da Noruega em 1949 se transformou em milagre e é a principal festa de Catas Altas da Noruega atraindo fiéis

Começa na próxima quinta- feira, dia 27, a novena em honra a Nossa Senhora das Graças em Catas Altas da Noruega. Este ano acontece o retorno da Festa do Padroeiro São Gonçalo do Amarante, unindo as duas comemorações. Estas festividades foram celebradas conjuntas por muito tempo na Paróquia. Mais que um momento de fé, a festa é marcada pela história.

Em Catas Altas da Noruega a devoção dos católicos da cidade evoca os idos dos anos 40 do século XX. O caso ficou conhecido para a história do “Milagre da santa que caiu do céu”. Em 29 de julho de 1949, véspera da festa do padroeiro da cidade, São Gonçalo do Amarante, que aconteceu o Milagre de Nossa Senhora das Graças.

O pároco em exercício da cidade à época, padre Luiz Gonçalves Pinheiro, devoto de Nossa Senhora das Graças, se preparava para a festa do padroeiro e resolveu presentear e felicitar os fiéis com uma imagem da santa. Pediu a um motorista de jardineira (ônibus usado na época) que trouxesse sua encomenda quando retornasse de Conselheiro Lafaiete. Porém, ao voltar de viagem o homem se esquecera do pedido do padre.

Entronização da imagem de Nossa Senhora das Graças (1949)/Reprodução

Decepcionado e sem saber o que fazer restando apenas dois dias para a festa, padre Luiz Gonçalves pediu à santa que o ajudasse a resolver tudo. Por volta das 15 horas do mesmo dia 29, um avião da Companhia Itaú de Transportes Aéreos sobrevoava a cidade muito abaixo do normal e com velocidade também reduzida chamando a atenção de moradores; estes perceberam que algo caía do avião. Eram caixas e pacotes – “Parecia uma chuva de confeti”, diziam as pessoas que presenciaram o fato.

Nos pacotes que foram arremessados do avião havia geladeiras, rádios, material cirúrgico, fardos de tecidos e caixotes com imagens de santos. O avião havia partido do Rio de Janeiro às 14 horas com primeira escala programada para Belo Horizonte no aeroporto da Pampulha. Ao sobrevoar Catas Altas da Noruega percebeu-se falha em um dos motores e para aliviar o peso e tentar chegar até a capital, os pilotos decidiram jogar fora parte da carga destinada a Belém do Pará e avaliada em 750 mil cruzeiros.

Há 6 km do centro da cidade de Catas Altas, no povoado de Lage, os lavradores Geraldo das Neves e Antônio Lourenço encontraram um caixote partido ao meio e com uma imagem intacta no interior que mesmo com a queda não teve nenhum sinal de destruição. Era uma imagem de Nossa Senhora das Graças exatamente igual à encomendada pelo pároco da cidade, o padre Luiz Gonçalves.

Assim como os demais objetivos que caíram do avião, a imagem ficou apreendida pelo delegado Reginaldo Petronilho de Queiroz até o dia seguinte, 30 de julho, quando chegou à cidade um caminhão com o Piloto Paulo para localizar e recolher os objetos.

Festa de Nossa Senhora das Graças/Reprodução

O piloto informou que conseguiu o milagre de chegar ao aeroporto da Pampulha com os depósitos de gasolina completamente vazios. E quando soube que o padre queria a imagem, apressou-se em doá-la.

Da casa do delegado a imagem foi levada em festiva procissão à igreja matriz onde se encontra até hoje, atraindo milhares de fiéis todos os anos durante os dias de festa no mês de julho.

No local da queda da imagem, espalharam cascalho, e sem adubo lançaram sementes de arroz que nasceram com apenas 28 dias e em considerável quantidade. Este arroz, que o padre Luiz Gonçalves guardou a sete chaves e com muito respeito, já produziu, entre outros, um milagre na pessoa devota de Nossa senhora das Graças.

Esta pessoa estava desenganada pela medicina quando procurou um remédio para um tumor maligno, conseguiu a cura por intercessão da Virgem. Meses depois o médico que a atendeu, constatou que a paciente estava completamente sã e atribuiu a cura a um milagre mesmo. (registros do Museu Antônio Perdigão)

Dia 28/07 (sexta-feira), celebração solene em homenagem ao Padroeiro São Gonçalo do Amarante e no dia 30/07 (domingo), celebração em ação de graças pelos 50 anos de ordenação sacerdotal do Arcebispo Dom Geraldo Lyrio Rocha.

No dia 29/07 (sábado) acontece a Festa de Nossa Senhora das Graças com a seguinte programação:

06h Alvorada. Repique de sinos

07h Missa dos Peregrinos na Igreja do Rosário

10h Missa Festiva na Igreja do Rosário

12h Hora do Ângelus. Repique de sinos

16h Missa Solene e Procissão tendo como celebrante Dom José Eudes Campos do Nascimento, Bispo de Leopoldina/MG.

 

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *