Fatos e Opinião – Última homenagem que se presta a quem à merece

É a última homenagem que se presta à quem; a merece: ao Sr. José Gonçalves Pereira, pelos relevantes serviços que; no decurso de sua vida, prestou a cidade mineira de Conselheiro Lafaiete-MG. Interior do Brasil. Em 1951. “O português; Sr. José Gonçalves Pereira, naturalizou-se brasileiro. “Sem nunca ter esquecido suas raízes do outro lado do Atlântico, através de seu sobrinho Alberto Ascensão”.

Em Conselheiro Lafaiete-MG; interior do Brasil. A residência familiar do Sr. José Gonçalves Pereira, junto de sua tão querida e amada esposa: Sra. Maria Helena Neiva Gonçalves, de 1945, a 2018. Na Avenida, Prefeito Dr. Mário Rodrigues Pereira, benemérito do Município de Conselheiro Lafaiete/MG – Interior do Brasil.

 SOLENE ENLACE MATRIMONIAL

Na década do ano de 1945; aos, 17, anos, José Gonçalves Pereira, realizou suas segundas núpcias. Sendo o seu enlace matrimonial com a Senhora: Maria Helena Neiva Gonçalves. De cuja, união: nasceram às seguintes filhas: Maria de Lourdes; Maria José; Maria Helena; filhos: Afonso; Carlos Alberto e Sérgio Luiz. A solenidade católica, foi realizada na Matriz da Imaculada Conceição, Padroeira da Cidade de Conselheiro Lafaiete-MG. Há 97 KM. da grande BH, Capital do Estado de Minas Gerais. Interior do Brasil.

BODAS DE DIAMANTES COM PARTICIPAÇÃO DA FAMÍLIA

Com extasiante alegria: O Sr José Gonçalves Pereira, casado com a Sra. Maria Helena Neiva, em 2005. Em meados do ano 2018: contou com a presença e participação marcante; de seus familiares: a esposa Maria Helena; numerosos amigos e admiradores do feliz casal. Aos 60 anos de um feliz casamento: O Sr. José Gonçalves, jubilosamente, comemorou suas Bodas de diamantes. E o casal foi alvo de merecidos parabéns; dos convidados especiais presentes.

REVER O PASSADO É VIVER OUTRA VEZ

Revendo o passado distante dos nossos dias; vivenciamos outra vez. Naquela época, o aniversário natalino e festivo do Sr. José Gonçalves Pereira, foi dia 12 de maio de 1928!

MISSA DOMINICAL

O Sr. José Gonçalves, sempre se fazia, acompanhar de sua filha: a senhora Maria José, que levava o seu querido pai, às missas: de Domingo; às 10 horas. Na Matriz da Imaculada Conceição, Patrona de Conselheiro Lafaiete (MG) Estado de Minas Gerais, interior do Brasil.

 JOSÉ GONÇALVES IMORTAL ENTÃO VEREADOR

O então Vereador Lafaietense, Cidadão José Gonçalves Pereira, em toda à sua vida pública. Exerceu suas atividades; com ilibada conduta; no Legislativo Municipal; da Egrégia Câmara dos vereadores de Conselheiro Lafaiete/MG; Interior do Brasil. Além disso, foi notável grande LIDER político e de relevante talento. Reconhecido pela Sociedade Lafaietense, ávida de melhores dias.

O LEGADO HISTÓRICO DE JOSÉ GONÇALVES

O já extinto Sr. José Gonçalves Pereira durante à sua vida pública; como então Vereador eleito à Egrégia Câmara Municipal de Conselheiro Lafaiete;-MG. O seu inesperado desaparecimento; deixou uma lacuna empreênchìvel nos meios católicos; sociais; políticos, e Executivos dos Municípios; e das Cidades vizinhas em toda à Região; do interior Brasil.

SEU LEGADO HISTÓRICO

No silêncio dos arquivos do Legislativo Municipal da Cidade, “consta de seu Legado histórico; muitas Obras Públicas: decorrentes da aprovação de seus projetos de Lei: indispensáveis, ao maior desenvolvimento do Município, à época em que foi edil”. Conselheiro Lafaiete-MG. Está há menos de 100 KM. da grande BH, Capital Mineira, interior do Brasil.

      Sempre atuante e participante das conquistas de nossa cidade, foi engajado na luta para a fundação da Cia Força e Luz.

   Empreendeu ésfòrsos também como vereador para melhorias na cidade. Ajudou na construção da Igreja de Santa Terezinha. No bairro Carijós , em C L – MG .

Amigo do deputado Dr. João Nogueira de Rezende, para ele fez campanha em várias ocasiões.

       Em fevereiro de 1996, a Academia de Ciências e Letras de C . Lafaiete –  MG . Concedeu-lhe o diploma Construtor do Progresso. E em setembro de 1997, recebeu da Câmara Municipal , Lafaietense , o Título de Cidadão Honorário.

         Era possuidor de uma memória invejável, digna de admiração por todos que o conheciam e vinham ao seu encontro para relembrar fatos do passado.

        Homem de visão, a vida não lhe deu oportunidade de prosseguir nos estudos, mas a própria vivência o fez mestre de muitos.

       Possuidor de um coração boníssimo e espírito de humildade chegam, até nos relatos de pessoas agraciadas por algum beneficio que ele lhes tenha proporcionado.

       Sua memória será sempre um enorme orgulho para nos , nos exemplos de vida que nos deixou como pai , avô , bisavô , filho , irmão , tio , primo , amigo .

      Agradecemos a Deus pelo pai que nos deu e , em orações pedimos que  sua alma descanse em paz . . .

Sua filha ,

                                Maria José

São relatos que transcrevo sob a emoção que sinto neste momento de dor , pela falta que o meu pai me faz . Maria Mafuz.

BREVE RELATO DA VIDA DE MEU PAI

“Imaginemos voltar ao passado , ao ano de 1928. Uma criança de 10 anos pastoreiava suas ovelhas pelos campos de Tondela, em Portugal. Essa criança já sente em seus ombros a responsabilidade de ajudar sua mãe viúva. Essa mãe abre o coração e o envia para o Brasil , para trabalhar com um tio , em busca de um futuro melhor .

Imaginemos o quanto sofre essa criança na companhia de um tio severo, em um país estranho! Quanto chora nas noites de solidão em seu quartinho! Quanta saudade da terrinha tão distante !

E assim a vida segue : trabalho , família , viuvez aos 24 anos , responsabilidades , nova família , dificuldades , mais trabalho.

                                            Maria José

E meu pai se tornou o português mais brasileiro que existiu em nossa terra. Em 1951, naturalizou-se brasileiro, sem nunca ter esquecido suas raízes do outro lado do Atlântico, no contato que sempre manteve com a família lusitana, através de seu sobrinho Alberto Ascensão.

Sempre atuante e participante das conquistas de nossa cidade, foi engajado na luta para a fundação da Cia. Força e Luz. Empreendeu esforços também como vereador para melhorias na cidade. Ajudou na construção da Igreja de Sta. Terezinha. Amigo do deputado João Nogueira, para ele fez campanha em várias ocasiões.

Em fevereiro de 1996, a Academia de Ciências e Letras de C. Lafaiete concedeu-lhe o diploma de Construtor do Progresso. E em setembro de 1997, recebeu da Câmara Municipal o Título de Cidadão Honorário.

Era possuidor de uma memória invejável, digna de admiração por todos que o conheciam e vinham ao seu encontro para relembrar fatos do passado.

Homem de visão, a vida não lhe deu oportunidade de prosseguir nos estudos, mas a própria vivência o fez mestre de muitos.

Possuidor de um coração boníssimo e um espírito humilde, chegam até nós relatos de pessoas agradecidas por algum benefício que ele lhes tenha proporcionado.

Chegando a alcançar 100 anos de vida, jamais se abateu com as condições que a idade avançada lhe impôs. Resignação é a palavra que melhor descreve esse período.

Sua memória será sempre um enorme orgulho para nós, nos exemplos de vida que nos deixou como pai, avô, bisavô, filho, irmão, tio, primo, amigo. Agradecemos a Deus pelo pai que nos deu e, em orações, pedimos que sua alma descanse em paz!…

                                                             Sua filha,

                                                            Maria José

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *