Estudo aponta que estabilidade da barragem do Morro da Mina, em Lafaiete, não está garantida

Uma matéria veiculada hoje pelo jornal Estado de Minas aponta que Minas tem mais de 400 barragens de rejeitos e quase 10% delas apresentam riscos. O Estudo foi encomendado pelo Ministério Público através de pesquisadores do Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O estudo foi feito a partir do inventário da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam) que aponta a existência de 50 barragens sem garantia de estabilidade, nem todas de rejeitos.  Entre elas está a barragem 2 e 3, da Vale Manganês, em Lafaiete, no Bairro Morro da Mina, conforme aponta o estudo. Outras 6 barragens onde a mineradora também explora o produto, duas em Ouro Preto e 4 Nazareno, perto de São João Del Rei, estão também sem garantias.

De acordo com a procuradora de Justiça e membro da força-tarefa Rio Doce – que acompanha e cobra pelo Ministério Público de Minas Gerais ações após a tragédia do rompimento da Barragem do Fundão –, Andressa Lanchotti, do total das barragens de rejeitos no estado,  quase 10% precisam ser monitoradas de perto devido aos perigos de ruptura, com efeitos graves para o meio ambiente e núcleos humanos.

O Diretor da Defesa Civil da prefeitura de Lafaiete, Carlos Roberto de Oliveira, afirmou que a Vale faz um acompanhamento regular da pequena barragem e que está abaixo do bairro Morada do Sol.

Veja a relação das barragens sem garantidas:

Fonte: Estado de Minas

FacebooktwitterFacebooktwitter

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *