Entidade alerta sobre os riscos e prejuízos do retorno da concessão da BR 040 ao Governo Federal

Em entrevista ao Jornal Correio de Minas, o Eng. Crispim Ribeiro, Presidente da Sorear (Sociedade de Engenheiros e Arquitetos da Região do Alto Paraopeba), alerta sobre a possibilidade do risco da possível perda da concessão e das obras de duplicação da rodovia BR 040, caso o Decreto que regulamenta a lei 13.448/17, que trata da relicitação de concessão de portos, ferrovias, aeroportos e rodovias federais, incluindo a BR-040, não seja assinado pelo Governo Federal ao longo dos próximos meses, ou não seja estabelecida uma forma de repactuação contratual com a empresa Via 040 que já atua no trecho.

Como consequência, poderão ocorrer a possível desmobilização da atual concessionária, seguida da suspensão imediata dos serviços, além do retorno da rodovia ao Governo Federal, através do DNIT e, inevitavelmente, causando a precarização da manutenção de placas e pinturas de sinalização, manutenção de radares, falta de reparos do asfalto, drenagem e, também, a suspensão de socorro médico e mecânico, praças de pedágio, postos de apoio, o que possivelmente irá aumentar os índices de acidentes, já considerados alto, incluindo vítimas fatais. Essa precarização poderá acentuar também a elevação dos custos financeiros para uma possível ação futura de retomada das obras, que poderá demorar anos, décadas ou até mesmo não ocorrer.

Sorear alerta que concessão pode voltar ao Governo Federal/DIVULGAÇÃO

“Acreditamos, ainda em tempo, que é fundamental a formação de uma coordenação política representada pelos 35 municípios interceptados pela BR-040, ao longo do trecho (Brasília/Juiz de Fora) que, juntamente com centenas de outros municípios articulados de forma direta ou indireta com o eixo da rodovia, e com o apoio da sociedade civil, possam se mobilizarem para promove, em Brasília, a criação de frentes parlamentares suprapartidárias, coordenações específicas ou comissões mistas permanentes, para viabilizarem a retomada das obras, seja através da assinatura do novo contrato (novo leilão), seja por meio da repactuação do contrato atual, com o objetivo de priorizar o segmento entre Belo Horizonte e Conselheiro Lafaiete”, disse Crispim.

Ele ressaltou, ainda, que quando uma rodovia é gerida pelo Governo Federal, há limitação e escassez de recursos financeiros complementares, sem contar os cortes de orçamento, o que torna o sistema de pressão por verbas mais competitivo. Portanto, caberá a cada estado, maior empenho quanto a mobilização e a coordenação da sua representação política, em defesa do início ou da retomada das obras de duplicação dos trechos das rodovias federais locais que interceptam os seus estados, conforme divulgação da imprensa nacional.

Como efetivo engajamento ao acompanhamento deste importante processo referente à assinatura do decreto de relicitação ou da repactuação para a retomada das obras de duplicação da rodovia BR-040, o Eng. Crispim Ribeiro, estará em Brasília no período de 24 a 31 de março do corrente ano para tratar de assuntos particulares e, na oportunidade, reunirá com o Deputado Federal “Fred Costa”, um dos parlamentares mais comprometidos com a retomada das obras da BR-040, e fará contatos também com órgãos de imprensa e com alguns setores técnicos específicos da esfera do Governo Federal.

Mesmo que seja viabilizada a retomada das obras, através da assinatura do decreto de relicitação ou até mesmo da repactuação, os nossos municípios, ao longo do trecho, correm sérios riscos de serem mais uma vez penalizados por não terem formalizados, até ao presente momento, as demandas das obras de infraestrutura de grande interesse da população, a serem executadas, pela concessionária, de forma integrada e articuladas com o eixo da 040, tais como: trincheiras, alargamento de pontes e viaduto, trevos, vias paralelas, passarelas, retornos, áreas de escape, contornos, regularizações de acessos, iluminação de trechos urbanos, redutores de velocidade, entre muitas outras. Vale ressaltar ainda que estas obras deverão estar respaldadas pela realização de audiências públicas, incluídas nos respectivos planos diretores municipais e encaminhadas urgentemente para Brasília, para serem relacionadas no edital da nova licitação ou da repactuação.

Destaca-se ainda que a concessionária somente poderá executar obras demandadas pelos municípios, caso estejam devidamente contempladas, detalhadas no edital e autorizadas previamente pela ANTT.

Leia mais:

Presidente da SOREAR alerta sobre nova licitação da concessão da BR 040 e cobra mobilização dos Municípios

Em reunião histórica, AMALPA e AMA iniciam discussão conjunta do novo edital de concessão da BR 040; municípios querem garantir intervenções e obras

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *