Emoção: colegas relembram a trajetória, o legado e o talento da cantora Mary Luce; “ela foi cantar no céu. A orquestra dos anjos que se cuide”, disse um amigo

Sérgio Trajano, Essênio Braga e Mary Lucy na década de 70/Reprodução

A cultura de Lafaiete está de luto.  Faleceu ontem a tarde (30), a cantora Mary Luce. Um infarto fulminante em sua casa, no Bairro Carijós, em Lafaiete, tirou sua vida aos 72 anos de raro talento musical. Durante décadas, sua voz inesquecível embalou os bailes, programas de rádio e as noites lafaietenses.

Dona de uma voz marcante, amiga sincera, alegria contagiante, Mary será enterrada hoje, às 14:00 horas, no Cemitério Nossa Senhora da Conceição. Ela não deixou filhos, mas uma legião de fãs e admiradores.

Em 2015, o Festival de Arte Cênicas  (FACE), ela foi homenageada. Mary começou a cantar ainda muito cedo, acompanhando seu pai em teatros, circos na década de 60.  Depois  vieram os programas de rádio, os festivais das canções.

Acometida por uma diabete, nos últimos tempos era bem reclusa em sua casa. Em 2009, um evento musical, organizado por amigos, no Clube Santa Cecília, angariou recursos para a colocação de uma prótese teve uma perna amputada.

Mensagens

Nas redes sociais, amigos e familiares deixaram suas mensagens. “Sempre que me encontrava com ela, fazia questão de dizer que tinha sido a entrevistada mais divertida que eu tinha recebido no programa Hora Vip, da Rádio Carijós. Grande artista. Hoje, a Mary Luce foi cantar no céu! A orquestra dos anjos que se cuide”. Este foi o comentário do acadêmico Douglas Carvalho Henriques

O primo de Mary, Maurício Mendes, lembrou que por ironia, exatamente esta semana, a prefeitura de Lafaiete iniciou a demolição de 4 casas para a construção do prolongamento da Avenida Marechal Floriano e uma delas seria a sua residência. “Umas das maiores vozes femininas da música lafaietense que abrilhantou grandes bailes nas décadas passadas e cantou em inúmeros casamentos como foi no meu. Dona de uma alegria contagiante e de uma voz inigualável ela foi abrilhantar os palcos da eternidade”, destacou.

Amigo de longas datas e shows memoráveis, o artista lafaietense, Sérgio Trajando, não escondeu sua emoção. “Hoje me despeço de uma grande amiga que acaba de partir. Acho que ainda não consigo acreditar que minha querida se foi. Meu coração está de luto e meu peito já transborda de tanta saudade”.

O músico e compositor, Tadeu Melo, também, narrou sua paixão musical por Mary.” É um dia realmente muito triste, de manhã o Silmar se foi, e agora minha amiga Mary Lucy. A maior cantora que essa terra produziu, uma pessoa alegre, um rouxinol, poucas cantoras do mundo tem a afinação dela, vai em paz minha querida, vai cantar para os anjos ,sem dores .sem temores, só amores , só amores .obrigado por ter nos ensinado tanto”.

Também o advogado criminalista, Sílvio Lopes, exercitou sua veia poética. “Mary que Deus lhe receba muito bem.Você foi o canto que embalou minha juventude. Talento ímpar e coração do tamanho do Universo. Com certeza o céu te espera repleto de amor, do amor que você nos deu com sua voz e amor. Saudade eterna de você minha querida e inesquecível musa da voz. Siga em paz. O Criador lhe deu o talento do mundo, você lhe devolveu em música e amor,minha linda. Saudade, até um dia”.

“Essa voz, que hoje parte, também se (re)parte em sonoridades mil, estrelas equilibristas em claves de sol. Nossa inigualável Mary Lucy cantou, viveu, bebeu e comeu a vida com a vontade funda e infinita de ser intensidade. então, nos resta calar os olhos, fechar os ouvidos, tapar a boca… o mais digno gesto nosso será tirar o chapéu e deixar o coração falar: – obrigado, amiga, por todo o amor do mundo de sua voz em nós. as estrelas não morrem, dormem em paz antes de renascerem em outros palcos”, rememorou o escritor Paulo Roberto Antunes.

O teatrólogo e secretário municipal de Cultura, Geraldo Lafayette, sintetiziou o que representou a artista. “Era uma pessoa ímpar. Quando se falava em música, surgia no nome de Mary Luce. No momento de auge, ela encantou esta cidade de uma forma nunca viu. Era pessoa carinhosa, terna, acolhedora, sempre rindo. Era uma personalidade cultural”.

 

Dona de uma voz marcante e raro talento, a cantora deixa um legado insuperável na história musical recente de Lafaiete

Academia de Letras divulga nota de pesar

Em nota divulgada, Moises Mota da Silva, Presidente da ACLCL (Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafaiete, lamentou a morte da cantora. “A Academia de Ciências e Letras de Conselheiro Lafayette lamenta, profundamente, a morte da cantora Mary Luce Lopes ocorrida na tarde desta sexta-feira (30), em sua residência, nesta cidade.

Artista de imensurável talento e ganhadora de inúmeros Festivais da Canção, Mary Luce é fonte de relevantes valores humanos. Neste momento de luto a ACLCL se uni ao coro de familiares, amigos e admiradores afim de lhe prestar justas homenagens.Apesar da efemeridade da vida sua arte permanecerá, fulgurante, em nossa memória e na história da sua cidade. Descanse em paz Mary”.

Outros amigos, escritores, artistas e colegas também espalharam mensagens emocionadas pela morte súbita da cantora cujo legado é insuperável. A prefeitura de Lafaiete também divulgou nota de pesar.

Leia também:

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *