Contra a privatização, vereador apresenta Moção de Repúdio contra o Presidente Bolsonaro

O vereador Oswaldo Barbosa/CORREIO DE MINAS

Foi lida em plenário, ontem (22), uma Moção de Repúdio n} 024/2019 contra o Presidente Bolsonaro. A iniciativa partiu do Vereador Oswaldo Barbosa (PP) que criticou as políticas implementadas pelo Governo Federal.

Na lista estão as privatizações, em especial dos Correios, em que o vereador considera nociva a venda aos interesses público, em especial da camada mais pobre da população. Segundo ele, a estatal cumpre um papel social relevante e, se privatizada, desvirtuará seu foco pelo qual foi criada há mais de 300 anos. A Moção de Repúdio deve entrar em votação no plenário da Câmara de Lafaiete na próxima terça, 27. Se aprovada, deve ser enviada ao presidente do país. “È do interesse coletivo que os Correios permaneçam atuando como verdadeiro braço do Governo Federal em todo o território nacional, desenvolvendo sua missão pública notória”, salientou o vereador.

Leia na íntegra as Moção:

“Moção no 024/2019

Apresento a Vossa Excelência, nos termos do disposto no art. 197 do Regimento Interno desta Casa, a presente MOÇÃO DE REPÚDIO ao Governo Federal em face da suposta PRIVATIZAÇÃO DA EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS – ECT.

Requeiro que esta Moção de Repúdio seja feita através de Ofício e encaminhada ao Presidente da República, Presidente do Senado Federal, Presidente da Câmara dos Deputados, Ministro da Casa Civil, Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Ministro da Economia, Presidente dos Correios, bem como para todos os Deputados Federais e Senadores representantes da nossa Região.

Justificativa

É de conhecimento público que os Correios são a única entidade do Governo Federal presente em todo o território nacional; que os Correios prestam serviços de interesse social muito relevantes, como o transporte e entrega de correspondências e de encomendas e o atendimento de serviços

Agência dos Correios de Lafaiete foi fechada em Julho/CORREIO DE MINAS

financeiros; que os Correios prestam inúmeros serviços relevantes para os órgãos públicos, federais, estaduais e municipais, como o recebimento de impostos e taxas, o pagamento de benefícios sociais, inscrições em cadastros e concursos, logística de eleições, distribuição de livros didáticos e de provas de concursos públicos, distribuição de medicamentos e vários outros; que os Correios realizam seus serviços com elevados padrões de qualidade operacional, o que levou a população a reconhecer a empresa como uma das instituições públicas mais confiáveis, logo após a Família e os Bombeiros; que os Correios são parceiros e fator de fomento das pequenas e médias empresas, especialmente das que atuam no comércio eletrônico, sendo líder no segmento de encomendas nacionais e internacionais; o papel estratégico de um Correio Público na logística do país, contribuindo para o desenvolvimento e integração nacional; é preciso destacar também os diversos benefícios da presença dos Correios e da oferta de seus serviços para as populações e para as economias das localidades do interior do País; que os Correios não são estatal dependente dos recursos do Tesouro Nacional; que, por tudo isso, é do interesse coletivo que os Correios permaneçam atuando como verdadeiro braço do Governo Federal em todo o território nacional, desenvolvendo sua missão pública notória.

Leia mais: Fechamento da unidade dos Correios afetará serviços e vai superlotar agência central

 

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *