Caranaíba: festa celebra a cultura e a tradição musical em tradicional festival de bandas

Festival de Bandas é um dos mais tradicionais da região/CORREIO DE MINAS

Uma das manifestações culturais mais genuínas dos mineiros são as bandas de músicas. Elas são a expressão e identidade que formam este povo. Em Caranaíba, a Sociedade Musical Gloriense completou, no último dia 15, 107 anos de fundação, e é a principal riqueza artística e a manifestação popular de seus habitantes.

Para celebrar esta tradição secular a prefeitura municipal promoveu entre 17 a 19 de maio o VIII Encontro de Bandas, um dos principais eventos musicais da região. O domingo, dia 8, a cidade parou para ver a banda passar, como diz a canção. Caranaíba em festa, a população foi às ruas para aplaudir os verdadeiros músicos que constroem e mantém viva esta tradição. No evento, a Sociedade Musical Gloriense estreou o novo uniforme.

Sociedade Musical Gloriense, expressa a secular tradição musical de Caranaíba e foi a anfitriã do evento/CORREIO DE MINAS

Oito bandas se fizeram presentes no Encontro. Já bem cedinho as comitivas lotavam a charmosa e histórica praça Marciano Vieira. Uma recepção calorosa e com um café matinal esperavam os mais de 250 participantes. Por onde se avistam os olhares haviam jovens, adolescentes, senhores, sejam homens e mulheres, espalhados pela praça ou aos arredores da Igreja de Nossa Senhora da Glória. Pelos ares ouviam-se os acordes de inúmeros instrumentos em preparação para as apresentações. Caranaíba respirava música.

Por volta das 10:00 horas, as bandas foram apresentadas ao público desfilando pela praça. Cada qual com uma bandeira para distinguir a cidade de origem e tendo seus maestros à frente.

Maestro João Araújo comandou O Bandão para o Hino Nacional/CORREIO DE MINAS

O bandão

Já era por volta das 11:30, quando o Maestro da Sociedade Musical Gloriense, anfitriã do Encontro, João Araújo da Silva, subiu ao palco para reger o bandão regendo o Hino Nacional.

Os músicos desfilaram pelas ruas até chegar para um farto almoço preparado e servido aos participantes. Na parte da tarde, cada corporação se apresentou no palco e foram homenageados com um troféu. Os músicos mais velhos e os mais novos receberam medalhas.

Abertura

Na abertura oficial do Encontro, o prefeito Marcos Bellavinha saudou as bandas e enalteceu o papel delas na cultura de cada cidade. Paralela ao festival, aconteceu a Feria Livre da Agricultura Familiar  quando os produtores rurais e artesãos expuseram e comercializaram seus produtos naturais, artesanato, agroindústria de Caranaíba.

Feira Cultural

No ano passado aconteceu o plantio na praça central de um muda de carnaúba, espécie nativa que empresta seu nome ao Município, até então bastante desconhecida na história local. Etimologicamente o nome indígena CARANÁ-YBA significa “Palmeira Carnaúba”. Foi graças um esforço de muitos cidadãos e uma parceria com o Instituto Inhotim que dois exemplares raros da espécie chegaram a cidade e agora Caranaíba resgatou uma parte de sua identidade para as futuras gerações. Nem 2018, o Município comemorou a passagem de 100 anos de Glória para Caranaíba.

Muda de Carnaúba, espécia nativa que empresta seu nome ao Município, foi plantada no ano passado/CORREIO DE MINAS

História, música e arte

Caranaíba se tornou referência na região sobre educação patrimonial. Como parte integrante do encontro de bandas, Caranaíba celebrou sua cultura e sua história. No sábado, ocorreu apresentação do congado de Nossa Senhora da Glória, de Caranaíba e Nossa Senhora da Guia de Carandaí, preservando a manifestação cultural presente na raiz e na identidade de seu povo.

No domingo, dia 19, aconteceu a feira cultural, um projeto pioneiro de educação patrimonial desenvolvido pela secretaria municipal de educação e contou com o envolvimento da comunidade escolar incluindo a educação infantil e ensino fundamental (1º ao 5º anos).  Com o nome “Partes que contam histórias”, a exposição foi resultado da mobilização de cerca de 230 alunos e professores em torno de pesquisa e estudo sobre as Ruas de Cima e de Baixo, como também das escolas rurais.

Exposição da Feira Cultural, que envolveu alunos da rede municipal em torno da educação patrimonial/CORREIO DE MINAS

Os alunos trabalharam a cultura, as personalidades de épocas, as manifestações culturais e artísticas específicas do universo pesquisado. A feira culmina com o trabalho desenvolvido desde o início do ano letivo. Alunos e professores se debruçam sobre a temática escolhida e promovem estudos, entrevistas, oficinas, trabalho de campo e levantamento histórico envolvendo a comunidade como um todo. “A gente cria o projeto e desenvolve com os alunos respeitando a faixa etária. Toda a comunidade escolar se envolve neste projeto de resgate e preservação cultura, as vivências, a histórias, as figuras humanas que se destacaram em suas áreas, o comércio, resgate das tradições e brincadeiras. Todo este universo é abordado e trabalhado com alunos e professores envolvendo também a comunidade em torno deste projeto”, avaliou Mírian Dutra Faria, coordenadora do projeto de Educação Patrimonial.

Shows

Ainda durante os três dias festas, shows com Evanir Moreira e Sandy e Paulo Rafael e Banda lotaram a praça principal.

Bandas Presentes

Sociedade Musical São Sebastião (Passagem Mariana),  Corporação Musical Nossa Senhora da Conceição de Senhora de Oliveira , Sociedade Musical Santo Antônio de Ouro Branco, Corporação Musical  Divino Esprito Santo(Lamim) e Fanfarra da Escola Estadual Patrus de Souza de Carandai, Sociedade Musical Santa Cecilia(Lafaiete),Sociedade Musical Gloriense de Caranaíba e Associação Musical São José(Santana dos Montes).

Veja as fotos do evento a seguir:

Fotos: Saymon Fotógrafo

FacebooktwitterFacebooktwitter

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *