Após perder investimentos de mais de R$210 milhões e mais de 2 mil empregos na gestão de Anastasia, Governo do Estado devolve área da Cohab e salda dívida com Lafaiete

Está previsto para amanhã, dia 7, na Cidade Administrativa, no Palácio Tiradentes, a solenidade de transferência de uma área de mais de 600 mil m² ao Município de Lafaiete. Estarão presentes do Governador de Estado, Fernando Pimentel (PT), o prefeito de Lafaiete, Mário Marcus (DEM), o deputado Glaycon Franco (PV) e representantes do Legislativo de Lafaiete. A solenidade está marcada para começar ás 11:00 horas.

O devolução do terreno, situado perto do Distrito Industrial, à margens da BR 040, no Paulo VI, tomado pela Companhia de Habitação de Minas Gerais (Cohab), o final de 2012, foi alvo de uma ação judicial proposta à época pelo prefeito Ivar Cerqueira (PSB), na tentativa de reaver a valiosa área. A Câmara promoveu diversas audiências públicas para discutir a situação da Cohab.

Desde o início de seu segundo mandato Glaycon Franco vem investindo esforços no sentido do Estado devolver este terreno e era uma promessa do Governador Pimentel que agora se concretiza depois de 5 anos de uma novela.

O Presidente da Cohab,Alessandro Marques e o deputado Glaycon Franco

O terreno revertido será destinado a ampliação do distrito industrial e cedido a empresas que aguardam na fila de espera uma área para investimentos, negócios, geração de emprego. Há na prefeitura mais de 200 pedidos de terrenos para instalação de empresas.

Perda do R$210 milhõese 2 mil empregos

Em 2012, no final da gestão de José Milton (PSDB), Lafaiete assinou um protocolo de intenções no qual aportaria um mega investimento de mais de R$210 milhões em dois grandes empreendimentos no prazo de 2 anos. O local escolhido e permutado foi o terreno que agora o Estado devolve a Lafaiete. À  época, por entender que o investimento não se enquadrava no que previa o contrato de cessão do terreno, a Cohab tomou de volta a área inviabilizando a vinda das empresas. E aí começou uma disputa e uma briga entre o Município e o Estado que agora se encerra após 5 anos.

Os investimentos seriam em uma unidade da Industrial Rex, empresa catarinense do segmento metalmecânico (fabricação de elementos de fixação como parafusos, hastes, barras roscadas, porcas, arruelas e fixadores de trilho), que planejava aportes iniciais de R$ 150 milhões.

O outro empreendimento, formado por um shopping center e um call center, demandará investimentos da ordem de R$ 60 milhões, fruto de mais uma parceria entre o Grupo DMA Distribuidora S/A e a empresa de investimentos São Francisco de Assis (SFA), dos ex-donos da rede supermercadista mineira Bretas.  No total seriam gerados cerca de 2 mil novos empregos diretos e indiretos.

Área no Paulo VI onde seria construído o shpping tomado pela Cohab e agora revertido ao Município para instalação de empresas

A instalação dos dois empreendimentos era resultado de um entendimento entre as empresas e a prefeitura municipal, que viabilizou a permuta de terrenos. A DMA e a SFA cedia à administração municipal uma área de 600 mil metros quadrados localizada no distrito industrial, às margens da BR-040 e próximo do Aeroporto das Bandeirinhas. Desse total, 200 mil metros ficarão à disposição da prefeitura para alocar futuros empreendimentos, enquanto os demais 400 mil metros quadrados seriam destinados à instalação de uma unidade da Industrial Rex, que já procurava um terreno com essas características no município. Em contrapartida, DMA e SFA receberiam da prefeitura uma área de 290 mil metros quadrados para instalação do shopping em uma região mais próxima do centro comercial.

A localização estratégica do município e do terreno foi decisiva para a instalação dos empreendimentos em Lafaiete. “Pretendemos inaugurá-los antes do Natal de 2013”, anunciou em 2012, a diretora do Grupo DMA, Andréa Nogueira. Porém o sonho riu e Lafaiete ficou a ver navios. Agora o Governo do Estado salda a dívida com Lafaiete. Entre diversas demandas entre Lafaiete e o Estado esta seria uma das mais importantes para o crescimento econômico de Lafaiete.

Ouros empreendimentos

Após 2012, outros empresários e grupos ventilaram a construção de um shopping em Lafaiete. Um em uma área da Tetramir, perto da BR 040, e outro na região da Barreira, mas os projetos não saíram do papel.

Um outro projeto também foi lançada na antiga área da Santa Matilde para a construção de um shopping e um centro universitário.

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *