Após paralisação, Gerdau apresenta propostas, mas critica intransigência dos motoristas; empresa vai retomar operações em mina

Após mais de uma semana de movimento dos motoristas da região, que paralisou o transporte de minério da mina Várzea do Lopes, a Gerdau divulgou ontem (11) um pacote de medidas pela categoria.

Motoristas não ficaram satisfeitos com propostas da Gerdau/REPRODUÇÃO

Durante o encontro realizado na Câmara de Congonhas, a Companhia divulgou um novo plano de gestão logística, que aumenta o número de viagens dessas empresas e atende, quase na integralidade, as demandas apresentadas pelos caminhoneiros, incluindo novos pleitos expostos no momento da reunião. Entre as demandas atendidas estão:

  • A alteração do sistema de rodízio, aumentando o número de viagens das transportadoras autônomas e permitindo, assim, a reintegração de 60 placas dos terceiros desligados pelas empresas – conforme demanda apresentada no momento da reunião;
  • Redução do volume de viagens da Tora e fim da preferência no uso da máquina de carregamento;
  • Ampliação e melhoria da qualidade de infraestrutura oferecida aos caminhoneiros, como banheiros e sala de descanso;
  • Divulgação de canal aberto de comunicação com a comunidade (0800-031-2118) e definição de pauta para fórum periódico com os motoristas;
  • Ampliação da rede de apoio para a retirada de caminhões com necessidades mecânicas, de acordo com as normas de segurança previstas na legislação;
  • Análise e realização de intervenções, sempre que necessário, nas estradas de rodagem interna da mina.

A Gerdau reitera seu respeito ao direito de manifestação dos profissionais, mas lamenta que os motoristas tenham se mantido intransigentes mesmo diante do seu esforço em atender as solicitações tidas como fundamentais para a prestação do serviço. A Empresa retomará suas operações de forma gradual e continuará preservando o diálogo e a segurança de seus colaboradores e dos profissionais envolvidos em sua logística.

Tora consegue liminar para o transporte de minério

PM garantiu cumprimento de liminar e liberação das carretas para o transporte de minério/REPRODUÇÃO

Os motorista fizeram ao longo dos últimos dias diversas manifestações com o intuito de pressionar a Gerdau para flexibilizar o transporte aos autônomos, já que a categoria alegava que a Tora Transportes e outras empresas estavam sendo privilegiadas na Mina da Várzea do Lopes.

Ontem (11), a empresa, que também estava com suas atividades paralisadas com temor de represálias dos motoristas, que obriga os trabalhadores não vinculados a ela a permanecer um distância mínima de 300 metros de sua garagem, situada às margens da BR 040, em Congonhas, sob multa diária de R$50 mil.

A decisão da 2ª Vara Cível, Criminal da Justiça da Comarca de Congonhas, solicitada pela TORA Transportes contra a Associação de Caminhoneiros de Congonhas, se baseou em fotos e boletins de ocorrências, de que ela estaria sendo alvo de investida  patrocinada por motoristas impedindo suas atividades de transporte de minério. A Tora alegou que contratou escolta armada para defender seu patrimônio.

Leia mais:

Facebooktwittergoogle_plusFacebooktwittergoogle_plus

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *